Covid-19

DGS vai recomendar uso de máscara ao ar livre quando não houver distanciamento

DGS vai recomendar uso de máscara ao ar livre quando não houver distanciamento

A Direção-Geral da Saúde vai recomendar, muito em breve, o uso de máscara ao ar livre em situações em que não seja possível manter o distanciamento social.

"Muito brevemente vai sair uma orientação no sentido de as pessoas no exterior usarem máscara se não conseguirem manter distanciamento dos outros", disse a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, em conferência de Imprensa, esta segunda-feira.

Após consulta com peritos internacionais, a DGS conclui que a "utilização das máscaras ao ar livre pode acontecer quando estamos muito próximos de outros, em sítios muito movimentados, nos quais temos de ficar".

Questionada sobre o arranque do ano letivo, Graça Freitas considerou que "a primeira semana correu bastante bem" e admitiu que "há ainda ajustes a fazer".

"Nim" à oferta de 500 mil testes rápidos da Cruz Vermelha

O secretário-geral da Saúde, António Lacerda Sales, admitiu que o Governo venha a aceitar os 500 mil testes rápidos à covid-19 oferecidos pela Cruz Vermelha Portuguesa, revelando que entre hoje e amanhã decorrerão reuniões que vão ser decisivas.

PUB

"Num contexto de escassez de recursos, de evolução epidemiológica e em situações específicas, de surtos em lares ou escolas, estes testes antigénio poderão ser uma mais-valia, pois permitem detetar indivíduos com doença ativa, disse António Lacerda Sales.

Na habitual conferência de Imprensa das segundas-feiras, que junta o Ministério da Saúde e a Direção-Geral da Saúde, em Lisboa, o Governante esclareceu que este tipo de testes "têm uma sensibilidade mais baixa que os testes PCR, podendo originar falsos testes negativos, particularmente em doentes assintomáticos e com carga viral baixa", razão pela qual está a ser demorada a decisão do Governo.

Com a chegada do outono, vários países estão a fazer estes testes, com algumas condições, e Portugal está a acompanhar e avaliar. "Há ainda alguma incerteza e indefinição para o seu uso atual, sem prejuízo de poder vir a ser utilizado, mediante a evolução do surto epidemiológico", acrescentou Lacerda Sales, anunciando que ainda esta segunda-feira "vai realizar-se uma reunião entre DGS, INSA e Infarmed, para definir a estratégia para estes testes". Amanhã, reúnem Infarmed, INSA e Cruz Vermelha .

Outras Notícias