Exclusivo

Discurso de ódio encoberto é "altamente frequente em Portugal"

Discurso de ódio encoberto é "altamente frequente em Portugal"

Cinco pessoas, três delas da comunidade cigana, LGBTQ+ e afrodescendente, anotaram milhares de comentários considerados como discurso de ódio durante quase três anos e antes e durante a pandemia. O projeto liderado pela investigadora Paula Carvalho, do INESC-ID, cujos principais resultados foram apresentados esta terça-feira, conclui que o discurso de ódio encoberto é "altamente frequente em Portugal".

Entre as três comunidades, os conteúdos nocivos foram mais direcionados a afrodescendentes, mas a maior quantidade foi dirigida a pessoas de etnia cigana.

"No YouTube, a comunidade mais visada pelo discurso de ódio foi a cigana. Mas, em termos globais, o discurso de ódio mais intenso, com severidade e impulsividade, foi dirigido a afrodescendentes", explica a investigadora. Foram estudados 39 vídeos e 20 590 comentários, feitos por 8485 diferentes usuários.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG