Previsão

Escolas vão precisar de 34 mil novos professores na próxima década

Escolas vão precisar de 34 mil novos professores na próxima década

O número de alunos vai diminuir 15%, mas 39% dos professores em exercício vão aposentar-se até 2031 e nos cursos superiores de Educação não saem novos candidatos em número suficiente, pelo que as necessidades de recrutamento vão aumentar, conclui o estudo de diagnóstico de necessidades docentes de 2021 a 2031 apresentado esta quarta-feira.

À medida que aumentarem as aposentações e o número de professores com reduções de horário, "a pressão" para recrutar também vai subir, alerta Luís Capela Nunes, coordenador da equipa da Nova School Bussiness Economics que elaborou o estudo.

Este ano letivo foram colocados mais 3050 professores, em 2030-2031 as necessidades de recrutamento serão de 34508, cerca de 3451 em média por ano, sendo que essa necessidade também cresce, para 4107 no final da década.

Será no 3.º ciclo e Secundário que irão ser precisos mais professores (15663), especialmente nas áreas metropolitanas do Norte (12057) e de Lisboa (9265).

A universalização do Pré-Escolar também criará uma pressão acrescida no recrutamento, especialmente na região de Lisboa - até final da década vão aposentar-se 61% dos educadores e as necessidades de recrutamento vão aumentar 54%.

Na apresentação, o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, sublinhou que as cerca de 11 mil vinculações nos quadros nos últimos seis anos contribuíram para "mitigar" este cenário de insuficiência de professores.

As entradas em cursos de formação de professores, frisou, apesar de ter aumentado desde 2017 "ainda não é suficiente para reverter completamente as necessidades identificadas" no estudo.

PUB

O ministério, anunciou, vai apresentar medidas estratégicas que devem estar "no horizonte de quem vai apresentar políticas públicas" nas eleições de janeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG