Incêndios

Governo diz que "Parque Natural da Serra da Estrela vai ficar melhor do que estava"

Governo diz que "Parque Natural da Serra da Estrela vai ficar melhor do que estava"

A ministra da presidência, Mariana Vieira da Silva, garante que a a "valorização, a recuperação e o desenvolvimento, além do que já existia, é uma prioridade deste Governo" para os territórios afetados pelo incêndio na serra da Estrela e anunciou que será declarado o estado de calamidade na região da serra da Estrela.

As garantias da ministra foram comunicadas aos jornalistas no fim de um encontro entre ministros e presidentes de câmara, realizado em Manteigas, após o qual anunciou que seria decretado o Estado de Calamidade naquela região, afetada por incêndios que duraram uma semana.

Antes de avançar com medidas, Mariana Vieira da Silva considerou que "é fundamental" perceber a dimensão dos estragos causados pelo fogo, que lavrou durante 11 dias na serra da Estrela, contando com as reativações, após uma semana inteira a fogo, que destruiu 25 mil hectares de floresta.

PUB

"Nos próximos 15 dias, vamos fazer o levantamento de todos os danos e prejuízos", disse Mariana Vieira da Silva. "Queremos saber como estão os solos, onde é preciso intervir, saber como estão as bacias hidrográficas", explicou a ministra. "Um prazo muito curto que responde a esta situação de emergência e calamidade", disse.

A inventariação vai contar com a participação de vários organismos públicos. Após a conclusão do levantamento, serão apresentadas "medidas, ao abrigo do Estado de calamidade", que a ministra anunciou e "será decretado pelo Conselho de Ministros", para poder "responder melhor e o mais urgente possível a estes territórios".

Mariana Vieira da Silva deixou uma mensagem de otimismo, sublinhando que a partir de setembro haverá um terceiro momento, "muito importante", um "plano de recuperação e revitalização que deixará o Parque Natural da Serra da Estrela melhor do que estava". Segundo a ministra, trata-se de "um projeto ambicioso" que vai reunir várias instituições.

Seis ministros estiveram reunidos, em Manteigas, com os seis autarcas abrangidos pelo Parque Natural da Serra da Estrela - Manteigas, Celorico da Beira, Covilhã, Guarda, Gouveia e Seia - e ainda de Belmonte, também presente por ter sido atingido pelas chamas. Dos seis municípios, cinco foram representados pelos presidentes de Câmara: Flávio Massano (Manteigas), Vítor Pereira (Covilhã), Sérgio Costa (Guarda), Carlos Ascensão (Celorico da Beira) e António Dias Rocha (Belmonte).

"A presença aqui de seis ministros é um sinal muito positivo que podemos passar a todas as pessoas da serra da Estrela e aos afetados pelos incêndios, um sinal muito encorajador para os próximos tempos", disse o presidente da Câmara de Manteigas, Flávio Massano.

"Com a presença aqui dos membros do Governo, conseguimos perceber que já há trabalho de campo, que estão a ser postas em prática várias medidas do curto prazo", acrescentou o autarca anfitrião do encontro. "Isso é uma tranquilidade que podemos passar a quem aqui vive, que há trabalho a ser feito e que estamos a ser acompanhados por todos os membros do governo", disse Flávio Massano.

O incêndio deflagrou a 6 de agosto na Covilhã e foi dado como dominado uma semana depois, no dia 13. Sofreu uma reativação dois dias depois e foi considerado novamente dominado na noite de quarta-feira, dia 17, onze dias depois da primeira ignição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG