Saúde

Hospitais públicos têm mais de metade dos médicos sem exclusividade

Hospitais públicos têm mais de metade dos médicos sem exclusividade

Dos 13052 especialistas do setor empresarial do Estado, 5604 trabalham no regime de exclusividade. Ordem dos Médicos admite dedicação exclusiva voluntária para chefes de serviço, a Federação Nacional dos Médicos quer que seja obrigatória.

A falta de médicos nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a causar cada vez mais constrangimentos nos cuidados aos doentes, chegando mesmo a fechar serviços. Uma das soluções apontadas para resolver este problema é voltar a permitir a dedicação exclusiva aos especialistas, o que significa trabalhar mais horas mas receber mais.

De acordo com a Administração Central dos Serviços de Saúde (ACSS), em junho de 2019, dos 13 052 médicos a trabalhar no setor empresarial do Estado (sem contar com os internos nem com os que estão nas parcerias público-privadas), só 5604 (42,9%%) trabalhavam com este regime.

Ler mais na edição impressa ou versão e-paper