Covid-19

Incidência no Porto e Lisboa em queda. Há três concelhos no nível máximo de risco

Incidência no Porto e Lisboa em queda. Há três concelhos no nível máximo de risco

O total de concelhos com o nível de risco mais elevado desceu de quatro para três. Porto e Lisboa continuam em queda.

De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta sexta-feira, há agora três concelhos no nível de risco mais elevado (mais de 960 casos por 100 mil habitantes) - menos um do que a semana passada. São eles: Proença-a-Nova (1574 casos), Portimão (1050) e Sines (1014).

Recorde-se que, esta semana, foi noticiado um surto com 93 casos de covid-19 na Santa Casa da Misericórdia de Proença-a-Nova, Castelo Branco.

PUB

Comparando com a semana passada, saem deste nível Albufeira (agora com 689) e Loulé (agora com 830) e junta-se Proença-a-Nova, que é agora o concelho com maior incidência a 14 dias em Portugal.

No escalão seguinte, o dos concelhos com mais de 480 casos por 100 mil habitantes, encontram-se o Porto e Lisboa. A Invicta tem agora uma incidência de 685 casos por 100 mil habitantes, tendo reduzido o número anterior (823). Já a capital também desceu de 750 para 595 casos por 100 mil habitantes.

Este nível inclui agora 32 concelhos, menos quatro do que a semana passada, quando se registavam 36.

O boletim desta sexta-feira revela ainda que há 127 concelhos com uma incidência superior a 240 casos de infeção pelo vírus SARS-COV-2 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Por sua vez, 218 concelhos têm mais de 120 casos por 100 mil habitantes, mais um do que a semana passada - 71% dos municípios portugueses.

Em Portugal, há sete concelhos com incidência 0: Calheta (Açores), Castanheira de Pêra, Corvo, Marvão, Porto Moniz, Santa Cruz das Flores e Vila de Rei. Este é um aumento de dois em relação ao boletim da semana passada.

Segundo o boletim desta sexta-feira, a incidência nacional é de 362,7 casos por 100 mil habitantes e de 369,2 se considerado apenas o continente. O índice de transmissibilidade manteve-se nos 0,92, tanto a nível nacional como no território continental.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG