Executivo

Quarta remodelação do Governo a oito meses das eleições Legislativas

Quarta remodelação do Governo a oito meses das eleições Legislativas

Já são conhecidos os rostos que dão corpo à quarta remodelação do Governo de António Costa, confirmando-se as saídas de duas peças importantes do Executivo.

Pedro Marques, que Costa formalizou, sábado, como cabeça de lista às eleições Europeias, e Maria Manuel Leitão Marques deixam o Governo e são lançados como os ponta-de-lança do PS na corrida eleitoral ao Parlamento Europeu.

Pedro Nuno Santos, Mariana Vieira da Silva, Duarte Cordeiro e Nelson de Souza dão corpo à quarta remodelação do Governo PS, a cerca de oito meses das eleições Legislativas de outubro. António Costa explicou, ainda ontem, a partir de Gondomar a necessidade de clarificar os papéis.

Segundo um comunicado da presidência da República, que confirma a remodelação, Marcelo Rebelo de Sousa vai dar posse aos novos governantes na segunda-feira, no Palácio de Belém, às 15 horas. O PSD critica a imagem de "instabilidade e desorientação" que o Governo passa com esta remodelação.

A presente remodelação altera a orgânica do Governo, com a divisão das áreas tuteladas por Pedro Marques por dois secretários de Estado que sobem a ministros: Nelson de Souza fica com o Planeamento, enquanto Pedro Nuno Santos fica com as Infraestruturas, juntamente com a Habitação, que estava na dependência do ministro do Ambiente.

A atual secretária de Estado adjunta do primeiro-ministro, Mariana Vieira da Silva, substituiu Maria Manuel Leitão Marques no Ministério da Presidência e Modernização Administrativa. Filha de ministro, é promovida de secretária de Estado a ministra.

A nova titular da pasta da Presidência mantém os três secretários de Estado de Maria Manuel Leitão Marques, que deixa o cargo para se candidatar na lista do PS às eleições de 26 de maio para o Parlamento Europeu.

Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, é promovido a ministro das Infraestruturas e Habitação. O "jovem turco" da esquerda do PS que aspira suceder a Costa é o principal artífice e grande defensor da Geringonça.

A saída de Pedro Marques e a divisão do ministério que tutelava em dois, promove a ascensão, ainda, de Nelson de Souza: o secretário de Estado do Desenvolvimento fica com a tutela do Planeamento. Tem experiência governativa do tempo de Guterres e é tido como um conhecedor do tecido empresarial português.

Número dois da Câmara de Lisboa, Duarte Cordeiro, sucede a Pedro Nuno Santos na secretaria de Estado dos Assuntos Parlamentares. Já lhe havia sucedido, em 2008, na liderança da JS. É outro dos chamados "jovens turcos" socialistas. Duarte Cordeiro vai ser substituído, na Câmara de Lisboa, por João Paulo Saraiva.

Várias mudanças nas secretarias de Estado

Além da entrada de Duarte Cordeiro, para Adjunto do Primeiro-Ministro e dos Assuntos Parlamentares, há mais novidades ao nível das secretarias de Estado: Maria do Céu Albuquerque fica com o Desenvolvimento Regional, Jorge Moreno Delgado, Infraestruturas, e Alberto Souto de Miranda, como Adjunto e das Comunicações.

Outros quatro serão reconduzidos: Tiago Antunes, secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Luís Goes Pinheiro, Adjunto e da Modernização Administrativa, Rosa Monteiro, Cidadania e a Igualdade, e Ana Pinho, secretária de Estado da Habitação.

Imobusiness