Óbito

Morreu Ruben de Carvalho, histórico dirigente do PCP

Morreu Ruben de Carvalho, histórico dirigente do PCP

O jornalista Ruben de Carvalho, histórico dirigente comunista e organizador da "Festa do Avante!", morreu na madrugada desta terça-feira, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Tinha 74 anos.

O Secretariado do Comité Central do PCP lamentou a morte de Ruben de Carvalho, numa nota enviada às redações, em que informou que o histórico dirigente morreu "em consequência de problemas de saúde que exigiram internamento hospitalar".

"Ruben de Carvalho teve uma vida de intervenção e de luta na resistência antifascista, no movimento associativo estudantil, abraçou com intensidade a Revolução de Abril e defendeu os seus valores e conquistas", recordou o Comité Central, sublinhando que o dirigente comunista "deixou à sociedade portuguesa um contributo de grande relevo no conhecimento da música, na sua dimensão artística, cultural e social, no plano nacional e internacional, das suas raízes populares à sua dimensão erudita".

Jornalista de profissão, Ruben de Carvalho foi foi chefe de redação da revista "Vida Mundial", redator coordenador do jornal "O Século" e chefe de redação do semanário "Avante!", tendo integrado o executivo da comissão organizadora da "Festa do Avante!" desde 1976.

Membro das "comissões juvenis de apoio" à candidatura do General Humberto Delgado e chefe de gabinete do ministro Francisco Pereira de Moura no primeiro Governo Provisório depois da revolução dos cravos, o histórico comunista foi deputado na Assembleia da República eleito pelo distrito de Setúbal e vereador nas câmaras municipais de Lisboa e Setúbal.

Ruben de Carvalho aderiu ao Partido Comunista Português em 1970. Foi funcionário do partido entre 1974 e 1997 e era membro do Comité Central desde 1979. Tinha 74 anos e era o único membro no atual Comité Central do PCP que tinha estado preso nas cadeias da PIDE durante o Estado Novo.