Coronavírus

Luis Sepúlveda estava "muito constipado" quando deixou Portugal

Luis Sepúlveda estava "muito constipado" quando deixou Portugal

Manuela Ribeiro, da organização do festival Correntes D' Escritas, diz que o escritor Luis Sepúlveda "estava muito constipado" quando deixou a Póvoa de Varzim, no domingo, dia 23 de fevereiro, seis dias antes de ser diagnosticado com coronavírus.

"O Luis estava muito constipado quando nos despedimos", disse Manuela Ribeiro, citada pela edição online do jornal "Expresso", ao início da madrugada deste domingo. "Ninguém sabe de onde poderá ter vindo o vírus - ou até que o tenha contraído mais tarde", acrescentou.

"Parece-me muito clara a nossa obrigação de informar todas as pessoas que estiveram envolvidas no festival, desde escritores a público... toda a gente, no fundo", disse a organizadora do "Correntes D'Escritas", ao "Expresso", adiando mais pormenores para depois de uma reunião com o executivo municipal.

"Após ter contactado a linha SNS24, vou estar atenta a qualquer sintoma ou a qualquer sinal", adiantou Manuela Ribeiro, que confessou ter sido apanhada de surpresa com a notícia de que Luís Sepúlveda está internado num hospital de Oviedo, depois de lhe ter sido diagnosticado coronavírus, poucos dias depois de deixar Portugal, após uma semana no festival "Correntes D'Escritas", na Póvoa de Varzim.

Luis Sepúlveda, de 70 anos, deu entrada num centro de saúde privado em Gijón, Espanha, na quinta-feira. Foi-lhe diagnosticada uma pneumonia aguda. Após testes realizados, foi confirmado que o escritor chileno está infetado com coronavírus.

Foi transferido, juntamente com a mulher, de 66 anos, para o Hospital Universitário Central das Astúrias (HUCA), em Oviedo, no qual ambos estão em isolamento.

PUB

Sepúlveda começou a ter os primeiros sintomas no dia 25 de fevereiro, terça-feira, dois dias depois de ter deixado Portugal, mas só procurou um médico na quinta-feira, dia 27.

Em Portugal, houve até agora 70 casos suspeitos de coronavírus, segundo o boletim informativo da Direção Geral de Saúde, enviado às redações às 19.15 horas de sábado, incluíndo a primeira suspeita na Madeira. Do total de casos validados, "67 dos quais tiveram resultado negativo após testes laboratoriais, aguardando-se resultados dos restantes".

A epidemia de Covid-19, que teve origem na China, já infetou mais pessoas em 58 países de cinco continentes, das quais morreram 2968, segundo números mais recentes. Das pessoas infetadas, mais de 39 mil recuperaram.

Além de 2870 mortos na China, segundo o balanço mais recente, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França, Hong Kong e Taiwan e, desde sábado, há também uma vítima nos Estados Unidos da América.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG