Sondagem Aximage/JN

Maioria dos portugueses dá nota positiva aos autarcas

Maioria dos portugueses dá nota positiva aos autarcas

É na Área Metropolitana do Porto que a satisfação com a gestão camarária é maior. Na região de Lisboa a margem de tolerância é bastante menor.

A maioria dos portugueses estão satisfeitos com os últimos quatro anos de gestão autárquica: 50% dão nota positiva, quase o dobro dos que dão nota negativa (27%), de acordo com uma sondagem da Aximage para o JN. Quando faltam quatro meses para as autárquicas, são também 50% os que atribuem "grande" importância às eleições (13% acham que é "pequena") e 71% os que têm a certeza que irão votar (6% estão certos de se abster).

É na Área Metropolitana do Porto que a satisfação com a gestão das câmaras municipais é maior (59%). E é também nesta região que há menos gente insatisfeita com os autarcas (23%), o que significa que beneficiam de um saldo positivo de 36 pontos percentuais.

Uma aparente boa notícia para os autarcas do Porto que pretendam renovar o mandato e um cenário menos evidente no resto do país e em particular na Área Metropolitana de Lisboa. É verdade que na região da capital também há mais avaliações positivas (45%) do que negativas (26%), mas o saldo encolhe para 19 pontos positivos. Um sinal de maior competitividade eleitoral.

A avaliação aos autarcas é tanto mais positiva quanto mais novo o eleitor: há um saldo de 34 pontos na faixa dos 18/34 anos; que desce para os 18 pontos nos que têm 65 ou mais anos. Da mesma forma, quanto maior é o rendimento, maior é o grau de satisfação (o saldo aumenta dos seis para os 23 pontos à medida que se sobem os degraus das classes sociais).

Ainda no que diz respeito às idades, a importância atribuída às eleições autárquicas aumenta com a idade (apenas 37% dos mais jovens admitem que é "grande", face a 69% entre os mais velhos), tal como a certeza de ir votar (de 59% para 82%). Sucede que, como já ficou demonstrado, quanto mais velho o eleitor, menor é a satisfação. O que significa que é entre os mais velhos que as oposições terão a sua melhor hipótese de conquistar uma Câmara.

PUB

A importância da obra

Quando se trata de escolher um presidente de Câmara, não há dúvidas quanto à característica a que os eleitores dão mais importância: o trabalho/obra realizada (63%). Um aspeto que parece favorecer os autarcas que já estão no poder e que é particularmente importante nas faixas etárias dos 35 aos 64 anos (70%), entre os que têm melhores rendimentos (73%) e os que vivem na região de Lisboa (72%).

A importância do trabalho/obra supera quase sempre a soma dos outros três critérios com que os inquiridos foram confrontados (personalidade, filho da terra, partido). Mas há exceções: entre os habitantes da região Norte, a competência continua a ser a característica mais importante (41%), mas é superada pela soma das restantes: a personalidade é o critério mais importante para 26%; ser filho da terra é relevante para 23%; e o partido pesa mais para 6%.

Também entre os mais pobres o trabalho/obra do presidente ou candidato (44%) se vê superado pela soma dos restantes critérios (50%). Os cidadãos com 65 ou mais anos também dão mais importância que os restantes eleitores à personalidade, origem e filiação partidária.

Legislativas mais importantes que as autárquicas

Em setembro ou outubro de 2021, haverá eleições autárquicas. Mas, no que diz respeito a atos eleitorais, as legislativas ainda são as que os portugueses mais valorizam (35%). Entre as autárquicas (28%) e as presidenciais (27%) há um empate técnico. Mas para as duas classes sociais mais baixas, a eleição do inquilino de Belém é a mais importante do que a eleição para a Assembleia da República, de que resulta a formação do Governo.

Governo à frente da Câmara

Questionados sobre a instituição política em que mais confiam (a Presidência da República ficou de fora, por ser unipessoal), os portugueses dão a vitória ao Governo (29%), com mais três pontos que a Câmara Municipal (26%), que até ganha nas regiões Centro e Sul, nos homens, nos mais jovens e nos habitantes das aldeias.

Dia de votação será em outubro

A data das eleições autárquicas ainda não foi marcada, mas a maioria dos inquiridos (61%) está ciente de que deverá ser no mês de outubro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG