IPMA

"Massa de ar quente e seco" traz calor: termómetros vão passar os 40 graus

"Massa de ar quente e seco" traz calor: termómetros vão passar os 40 graus

As temperaturas vão subir a partir de quarta-feira em Portugal continental, devendo ultrapassar os 30 graus Celsius em todo o território e atingir os 40°C em algumas regiões.

Após um mês de junho de pouco calor, o verão começa a chegar em força ao país, trazido por uma "massa de ar quente e seco" que, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), irá estender-se à Europa Central. O vento deverá ser "fraco a moderado", havendo um "aumento significativo" do risco de incêndio rural.

Em comunicado, o IPMA alerta para "uma subida dos valores da temperatura, em especial da máxima", a partir de quarta-feira. Esta deverá atingir "valores acima de 30°C na generalidade do território, com exceção de alguns locais na faixa costeira ocidental, sendo entre os 35°C e 40°C nas regiões do interior e vales do Tejo e do Sado", especifica o instituto.

O IPMA não exclui que se possam registar "valores pontualmente superiores": em Beja, por exemplo, preveem-se 41°C para sábado. Já em Lisboa e no Porto, o dia mais quente deverá ser a sexta-feira, com a capital a chegar aos 38°C e a Invicta aos 32°C. A temperatura mínima também deverá subir, prevendo-se noites tropicais - mínimas acima de 20°C - em algumas regiões.

O IPMA explica o motivo deste aumento geral das temperaturas: "A partir de 6 de julho, um fluxo do quadrante leste na circulação de um anticiclone localizado a nordeste dos Açores, estendendo-se em crista até à Europa Central, transportará uma massa de ar quente e seco sobre o território do continente".

Maior risco de incêndio

O instituto sublinha que a chegada do calor torna "provável" que venham a ser emitidos avisos de tempo quente. "Estas condições meteorológicas, associadas também a valores baixos da humidade relativa do ar, resultarão igualmente num aumento significativo do perigo de incêndio rural", acrescenta o documento.

PUB

Apesar da subida das temperaturas prevista a partir de quarta-feira, ainda poderão existir aguaceiros e trovoada no interior Norte e Centro durante esta terça-feira. O IPMA explica a persistência dessas "condições de instabilidade" com a existência de uma depressão em altitude.

Beja já sente os efeitos

Julho já trouxe consigo temperaturas acima de 35°C em algumas zonas do país. A mais alta, 36,6°C, verificou-se na estação de Oriola (Beja), no dia 1.

Seca preocupa

Um estudo internacional, citado pela AFP, concluiu que Portugal e Espanha vivem um dos piores períodos de seca em cerca de 1200 anos. A situação é acentuada pelo anticiclone dos Açores, alega o estudo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG