Reação

Medidas anunciadas por Costa são "tentativa de evitar fundamentalismos", diz Marcelo

Medidas anunciadas por Costa são "tentativa de evitar fundamentalismos", diz Marcelo

O Presidente da República classificou esta quinta-feira as medidas apresentadas ontem por António Costa como "uma tentativa de encontrar um equilíbrio". Recordou, ainda assim, que as regras estão sempre sujeitas a alterações.

Em declarações aos jornalistas na embaixada portuguesa em Sófia, no final de uma visita oficial de três dias à Bulgária, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que a subida do número de infeções por covid-19 não está a ser acompanhada pelo aumento de internados e vítimas mortais, razão pela qual "é fundamental não voltar atrás, não recuar".

O chefe de Estado encara as novas orientações do primeiro-ministro como uma tentativa de equilíbrio e de "evitar dois fundamentalismos". "O fundamentalismo sanitário, que não reconhece que vivemos hoje numa situação diferente da que vivíamos antes da vacinação" e "o fundamentalismo em termos de abertura, que ignora que há padrões europeus que condicionam a mobilidade em relação a nós", detalhou.

Além disso, aproveitou para apelar aos portugueses que mantenham o "bom senso" na abertura gradual da economia e da sociedade.

De recordar que o Governo decidiu, em Conselho de Ministros, manter a atual matriz de risco, mas passar a diferenciar os territórios de baixa densidade populacional face os restantes, que só recuam no desconfinamento se excederem o dobro do limiar de risco atualmente fixado.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG