Pandemia

Menos mortes em dia com 568 casos de covid-19. Risco mantém-se no verde

Menos mortes em dia com 568 casos de covid-19. Risco mantém-se no verde

Portugal reportou, esta sexta-feira, 568 novos casos e 11 mortes por covid-19.

Depois de, na passada sexta-feira, 12 de março, ter reportado 577 casos de infeção por SARS-CoV-2, o país regista hoje 568 infetados, menos nove do que há uma semana, mas mais 83 que os 485 de ontem. De quinta para sexta-feira, o total de vítimas mortais diminuiu de 21 para 11, menos 10.

O total de recuperados é praticamente o dobro do de novos casos, com mais 1571 pessoas a serem consideradas curadas da covid-19, num dia em que foram reportados 568 teste positivos, para um acumulado de 816623 infetados desde o início da pandemia e 766170 recuperados.

De quinta para sexta-feira, há menos 1014 casos ativos de covid-19 em Portugal (33699 no total) e são agora 14915 as pessoas sob vigilância das autoridades, menos 353 do que ontem.

Números que mantêm Portugal no verde, de acordo com a matriz de risco definida por especialistas e adotada pelo Governo aquando do início do desconfinamento, a 11 de março.

PUB

Segundo os dados revelados esta sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal apresenta um índice de transmissibilidade da doença de 0,86, o que significa que cada 10 pessoas doentes passam o vírus a quase nove (8,6). Descontando as ilhas, o R(t) desce para 0,84, considerando apenas os casos em território continental.

Ainda de acordo com os dados desta sexta-feira, Portugal apresenta uma taxa de incidência de SARS-CoV-2 de 87,2 casos de infeção por 100 mil habitantes. Números que descem para 75,7, caso se excluam as ilhas, considerando apenas os testes realizados no território continental.

A maioria dos casos foi registada na Região de Lisboa e Vale do Tejo (RLVT), que somou 223 (cerca de 40%) dos 568 testes positivos reportados esta sexta-feira no boletim da DGS. De um total de 309421 doentes oficializados no entorno da capital, resultaram 7074 mortes, quatro nas últimas 24 horas.

Tantas como as mortes registadas na Região Centro, que lamenta 2983 óbitos associados à covid desde o início da pandemia, período no qual foram reportados 116544 casos positivos, 104 nas últimas 24 horas.

A Região Norte, a mais fustigada no início da pandemia, acumula 329203 casos positivos da doença, dos quais 146 de quinta para sexta-feira. Com mais dois óbitos, a zona mais setentrional do país chora 5287 vidas perdidas desde o início da pandemia.

Alentejo e Algarve não reportaram vítimas mortais, acrescentando ao boletim 21 novos casos cada uma destas regiões, No extremo sul, há 20379 positivos e 351 óbitos desde o início da pandemia, enquanto na zona das planícies são 966 as mortes e 28849 as infeções reportadas desde o início da pandemia.

Nas ilhas, há mais uma vítima mortal a registar na Madeira (65 no total), de um acumulado de 8292 casos positivos de covid-19 desde o início da pandemia. Nos Açores, sem vítimas há várias semanas, são agora 3935 os casos totais e 28 os óbitos desde que a pandemia mudou a vida.

Num dia em que foi registada a morte de um homem com menos de 50 anos, num escalão, dos 40-49 anos, que registou 152 vidas perdidas desde o início da pandemia, a faixa etária dos mais seniores reportou quatro óbitos, dois homens e duas mulheres - no total, morreram 11051 pessoas com mais de 80 anos desde o início da pandemia, cerca de 66% do total nacional.

Na faixa etária dos 70-79 anos foram reportados dois óbitos, um homem e uma mulher, com o total de vidas perdidas, entre septuagenários, a ascender agora a 3552, cerca de 20% do total. No escalão imediatamente anterior morreram quatro homens, elevando para 1488 o total de óbitos entre os 60-69 anos desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG