INE

Morreram mais sete mil pessoas desde o início da pandemia

Morreram mais sete mil pessoas desde o início da pandemia

Desde o início da pandemia, a 2 de março, até ao passado dia 30 de setembro, morreram mais 7144 pessoas em Portugal, segundo o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Mas apenas 1920 das mortes ocorreram por causa da covid-19.

Estão a morrer mais pessoas em Portugal, do que a média dos últimos cinco anos. E o motivo não é a covid-19. Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) sobre a mortalidade ocorrida em contexto de pandemia, divulgados esta sexta-feira, desde os passados dias de 2 de março e 30 de setembro, morreram no país 64 105 pessoas, mais 7144 do que a média, em período homólogo, dos últimos cinco anos. Desses, um pouco mais de um quarto, 1920, foram óbitos por covid-19.

"Nas últimas quatro semanas (24 de agosto a 20 de setembro), registaram-se mais 1015 óbitos do que a média, em período homólogo, de 2015-2019. Nesse período registaram-se 119 óbitos por covid-19", revela ainda o INE.

Segundo relatório, o maior acréscimo no número de óbitos relativamente à média dos últimos cinco anos registou-se na região Norte, com exceção da última semana de junho e as primeiras de julho em que este acréscimo foi superior na Área Metropolitana de Lisboa.

Do total de óbitos registados entre os dias 2 de março e 20 de setembro, 38 060 ocorreram em estabelecimento hospitalar e 26 045 fora do contexto hospitalar, "a que correspondem aumentos de 2758 óbitos e 5561 óbitos, respetivamente", relativamente à média de óbitos desde 2015, em período idêntico.

O INE revela ainda que no período em análise, do total de óbitos, 31 568 foram de homens e 32 537 de mulheres, "mais 2970 e 4174 óbitos, respetivamente, em relação à média" dos últimos cinco anos.

PUB

Acrescenta-se ainda que mais de 70% dos óbitos foram de pessoas com idades iguais ou superiores a 75 anos. "Comparativamente com a média de óbitos observada em período homólogo de 2015-2019, morreram mais 6218 pessoas com 75 e mais anos e mais 4865 com 85 e mais anos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG