Exclusivo

Novos escalões no IRS não garantem aumento da justiça fiscal

Novos escalões no IRS não garantem aumento da justiça fiscal

Só uma baixa das retenções na fonte permitirá que contribuintes sintam impacto já no próximo ano. Cerca de metade das famílias não paga imposto, mas suporta taxa de IVA igual aos mais ricos. Em 2020 e 2021, Governo não atualizou com inflação intervalos de rendimentos.

A cerca de duas semanas da data de entrega do Orçamento do Estado para 2022, António Costa anunciou que tinha 200 milhões de euros para criar dois escalões novos de IRS - entre o 3.º e o 4.º e entre o 6.º e o 7.º -, mas não prometeu descer impostos. Especialistas explicam que a criação de escalões não garante maior progressividade (paga mais quem mais ganha) e que 200 milhões de euros não chegam para fazer a diferença às famílias. "A maior progressividade está por criar, entre os 50% de famílias que não pagam IRS por terem baixos rendimentos, mas são brutalmente taxadas com IVA a 23%", refere um ex-quadro da Autoridade Tributária.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG