O Jogo ao Vivo

Infarmed

Portugal mantém vacina da AstraZeneca mas pede notificação de reações adversas

Portugal mantém vacina da AstraZeneca mas pede notificação de reações adversas

O sistema de farmacovigilância recebeu a notificação de dois casos de reações à vacina contra a covid-19 que, no entanto, "não apresentam o mesmo padrão clínico dos que se encontram em avaliação", assume este domingo o Infarmed. Portugal vai, por isso, continuar a administrar a vacina da AstraZeneca mas vai ser pedido aos médicos que notifiquem todas as suspeitas de reações adversas após a a vacinação.

"Os profissionais de saúde que suspeitem de reações adversas após a vacinação contra a covid-19 devem notificar, de imediato, essas reações no Sistema Nacional de Farmacovigilância", pede Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) e a Direção-Geral de Saúde (DGS) num comunicado conjunto emitido este domingo à noite.

A Irlanda suspendeu hoje temporariamente a administração da vacina da AstraZeneca, sendo o décimo país europeu a tomar a decisão. "Os casos notificados estão a ser avaliados pelo Comité de Segurança, PRAC, da Agência Europeia de Avaliação de Medicamentos (EMA), esperando-se uma conclusão durante a próxima semana", sublinha Infarmed e DGS para justificarem que para já Portugal mantém a decisão de continuar a administrar a vacina.

"Este assunto continua a ser acompanhado pelas autoridades nacionais de saúde, através da sua participação na avaliação que decorre a nível europeu em conjunto com as autoridades congéneres europeias, nomeadamente em reuniões a decorrer na próxima semana. Qualquer nova informação será de imediato disponibilizada", concluem.

As decisões de suspensão da vacina da AstraZeneca foram tomadas após casos graves de coagulações sanguíneas detetadas após a vacinação. Áustria e Itália registaram, inclusivamente, mortes após a imunização. Este sábado DGS e Infarmed garantiram que os lotes suspeitos não foram distribuídos em Portugal.

No comunicado, DGS e Infarmed recordam que o número de casos de tromboembolias comunicados na população vacinada na União Europeia (cerca de 5 milhões de doses) e no Reino Unido (cerca de 11 milhões de doses) "continua a não ser superior ao verificado na população em geral".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG