Autárquicas

Rio ganha fôlego e já pensa nas legislativas de 2023

Rio ganha fôlego e já pensa nas legislativas de 2023

"Ganhámos Lisboa!". O grito foi dado por uma das raras vozes femininas presentes na sede do PSD, em Lisboa, já perto das 2 horas e em pleno discurso do líder do partido, Rui Rio. Mesmo antes de conhecer o resultado mais esperado, este já tinha dado o mote: "Estamos em melhores condições de ganhar as eleições [legislativas] em 2023".

O líder social-democrata não quis esclarecer se se recandidata às eleições internas, em janeiro. Mas a verdade é que chegou às autárquicas fortemente contestado e sai delas com a sua posição claramente reforçada.

"Tivemos um excelente resultado", afirmou Rio, ainda antes de receber a melhor notícia de uma noite passada de calculadora na mão.

Lembrando que o objetivo do PSD era "aumentar o número de votos, de eleitos e de presidentes de Câmara", atirou: "Conseguimos tudo isto contra as sondagens e muitos comentadores que deveriam ter algum respeito por si próprios".

"A vitória em Lisboa não é no meu interesse, é no interesse do partido. É uma vitória global do PSD", afirmou Rio na sede nacional social-democrata, em Lisboa. E, referindo-se à vitória de Moedas, puxou dos galões: "Fica comprovado que foi uma escolha acertada da direção nacional".

Melhoria no Porto e vitória em Coimbra

Ao que tudo indicava ao início da madrugada, o PSD também contribuiu para retirar a maioria absoluta a Rui Moreira, no Porto. "Tudo leva a crer" que isso fosse mesmo ocorrer, adiantou um Rio cauteloso, realçando que o seu partido "sobe fortemente" na Invicta - de pouco mais de 10% para cerca de 18%.

PUB

Em Coimbra, o PSD conquistou a Câmara ao PS, com a aposta num independente. Ao início da noite, o secretário-geral e coordenador autárquico do PSD, José Silvano, tinha descrito o feito como uma "vitória significativa", numa cidade onde o partido já perseguia o sucesso "há muitos anos".

O bom resultado dos sociais-democratas à escala nacional levou Rio a aproveitar o momento para deixar recados ao PS. Em sua opinião, o desfecho destas autárquicas provou que os problemas das cidades se resolvem "com verdade" e não com "rajadas" de promessas aos eleitores - referindo-se ao modo como, no seu entender, o primeiro-ministro se serviu da "bazuca" para promover os candidatos do PS.

O PSD também conseguiu resultados encorajadores nas Regiões Autónomas. Na Madeira, o Funchal foi reconquistado ao fim de oito anos e o presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, declarou vitória em mais cinco dos 11 concelhos do arquipélago. Nos Açores, a maioria das autarquias deixaram de pertencer ao PS.

O PSD superou as 98 Câmaras ganhas em 2017 - o pior resultado de sempre, que precipitou a saída de Passos Coelho da liderança -, mas deixou de liderar pelo menos 15. Entre elas, Espinho, Guarda, Valença ou Monchique.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG