Educação

Superior terá mais 5298 vagas na primeira fase do concurso

Superior terá mais 5298 vagas na primeira fase do concurso

Na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso, o Ensino Superior vai abrir 56.866 vagas, mais um décimo do que em 2019. O aumento foi conseguido com a redução de lugares para estudantes internacionais.

Os 17 cursos de excelência (escolhidos pelos alunos com médias mais altas) terão mais 399 vagas. Também as áreas com mais procura serão reforçadas. No total, e na primeira fase do Concurso de Acesso a Ensino Superior, serão abertas 56.866 vagas, mais 4.737 do que as anunciadas em julho e mais 5298 do que no ano passado.

Ainda assim, o número fica aquém dos estudantes candidatos: este ano, concorreram 62.675 alunos, o número mais alto desde 1996. Olhando para o passado recente, o aumento da procura, este ano, foi "excecional", considera o ministério do Ensino Superior.

O aumento das entradas em universidades e politécnicos será feito à custa da redução de lugares para estudantes internacionais. O número foi reduzido para seis mil - ainda assim acima das 4500 inscrições feitas no ano passado por alunos vindos do estrangeiro.

Manuel Heitor, ministro da Ciência e do Ensino Superior, afirmou ao JN que só duas instituições estão a sentir uma menor procura por parte de estudantes internacionais: Algarve e Coimbra. "Depende muito da origem dos estudantes, mas as outras instituições não" reportam uma redução significativa.

Vagas sobrantes vão para segunda fase

PUB

O número de estudantes internacionais que se candidatem vai ditar um novo reforço de vagas no concurso nacional de acesso. Se a procura ficar aquém da expectativa, Manuel Heitor admite reforçar as vagas a abrir na segunda fase do concurso nacional.

O mesmo poder acontecer com as vagas que não sejam ocupadas por alunos da via profissionalizante ou artística. Nos exames de acesso específicos para estes alunos, só 1096 foram aprovados - menos de metade das 2615 vagas abertas na primeira fase. As inscrições decorrem entre os dias 8 e 15 deste mês e Manuel Heitor admite que as vagas sobrantes sejam levadas para a segunda fase do concurso de acesso.

Ano deverá ter 90 mil matriculados

No ano letivo que começa este mês, Portugal deverá ter 90 mil pessoas inscritas no ensino superior, incluindo as várias formas de entrada no sistema público, os cursos tecnológicos de curta duração (CTeSP) e o ensino privado.

No ano letivo de 2019/2020, frequentaram o ensino superior 84 mil estudantes.

Outras Notícias