Maria do Céu Albuquerque

Ex-autarca ganha Agricultura mas perde Florestas

Ex-autarca ganha Agricultura mas perde Florestas

Da Câmara de Abrantes para uma Secretaria de Estado, e agora para o Ministério da Agricultura, que perde para o Ambiente a tutela sobre a floresta. Num governo que mais se parece com uma remodelação do anterior do que com um novo Executivo, Maria do Céu Albuquerque é uma meia surpresa.

O seu nome não era dado como ministeriável, mas pertence ao círculo político próximo de António Costa, que a chamou para o Secretariado Nacional do PS. A nova ministra nasceu em Abrantes, cuja Câmara liderou durante nove anos, até ir para o Governo. Os oito meses de experiência governamental, no Desenvolvimento Regional, com certeza ajudarão a compreender a área da Agricultura - que não domina - tal como a licenciatura em Bioquímica, pela Universidade de Coimbra.

Falta é agora saber que ministério terá para gerir. Perde a tutela sobre as florestas, que passarão para ao Ambiente, gerido por Matos Fernandes, e fontes ouvidas pelo JN dão conta de um corte profundo no orçamento da pasta que, entre outros, gere o dinheiro vindo de Bruxelas para o desenvolvimento rural.

Certo é que o próximo ano terá um desafio particularmente duro: a União Europeia está a reformular a Política Agrícola Comum, que financia muito da agricultura europeia e portuguesa. Capoulas Santos era um profundo conhecedor da matéria, de uma complexidade invulgar. O dossiê será fechado no próximo ano. Maria do Céu Albuquerque não terá muito tempo para se preparar.