Televisão

Miguel Guilherme: "Não se deve comparar uma série com novelas"

Miguel Guilherme: "Não se deve comparar uma série com novelas"

Ator lembra que "Conta-me como foi" não começou por ser "um sucesso" e defende que a RTP fique fora da "guerra" das audiências.

É uma das séries mais esperadas do ano e o canal público pretende estrear uma nova temporada de "Conta-me como foi" já em dezembro. A primeiro estreou em 2007, a última foi em 2011. A família Lopes, composta por Miguel Guilherme, Rita Blanco ou Catarina Avelar, está de volta ao pequeno ecrã, agora num cenário dez anos após o 25 de Abril.

"As aventuras da família Lopes arrancam em 1984 num bairro novo, em Benfica, onde todos os membros estão perfeitamente integrados. Como sempre, a história da família vai confundir-se com a do país. Vamos até 1987, em que Portugal está mais democrático, na pós-modernidade dos anos 80. Vamos abordar temas como a heroína, o grande desenvolvimento da música, sobretudo o rock, e política", disse, ao JN, Miguel Guilherme, frisando que a primeira temporada "não foi logo um sucesso".

"Isso só aconteceu depois. Ou seja, quando a crítica começou a dizer bem e meia dúzia de fãs começaram a gostar. No início, em termos de audiências, não foi um grande sucesso", recorda, para, a seguir, se referir à RTP: "Aliás, nem acho que é para isso [para as audiências] que a RTP seja vocacionada, embora tudo indique o contrário: a maneira como as coisas são feitas indicam tudo menos serviço público! Não se devia estar a comparar uma série com novelas, que, por acaso, eu também faço".

Equipa é a mesma

O ator confessa que não esperava voltar. "O regresso é sempre agradável. Deu muito gozo. Não contávamos voltar a isto. Houve uma proposta e aceitámos com prazer, mas se a equipa não continuasse a mesma, sobretudo a nuclear, não faria sentido. Mas conseguimos reunir, mesmo estando espalhados por vários canais", congratula-se.

E diz, a concluir, que, depois da série se ter tornado "de culto", pode resultar em mais uma temporada. "Temos todas as condições para fazer um trabalho engraçado, que não vai defraudar as expectativas em relação ao anterior".