Volta a Portugal

Ausências de João Benta e Luís Mendonça justificadas

Ausências de João Benta e Luís Mendonça justificadas

Após as notícias que davam conta do afastamento de João Benta e Luís Mendonça da Volta a Portugal, atletas e equipas justificaram os motivos da ausência da maior prova de ciclismo de estrada no nosso país.

No caso de João Benta, ciclista da Efapel, foi o próprio a publicar um comunicado, na página de Facebook, alegando que não tem nenhum envolvimento com casos de doping, estranhando inclusive o timing das buscas domiciliárias realizadas pela Polícia Judiciária.

"No dia de ontem fui também alvo de buscas domiciliárias. Desconheço a motivação e muito menos compreendo o timing. Certo é que concluídas as buscas - com as quais colaborei integralmente, merecendo da parte dos inspetores da PJ igual correção - NÃO FUI CONSTITUÍDO ARGUIDO. Nada foi encontrado na minha residência que pudesse estar relacionado com qualquer substância ou utensílio utilizado na prática dopante", explica o ciclista.

PUB

De seguida, João Benta assegura estar "de consciência tranquila" e agradeceu o apoio da Efapel na tentativa de ultrapassar esta situação desagradável.

"Estou de consciência tranquila e certo de que tudo fiz para corresponder às expectativas dos que em mim confiaram e confiam, mas estou também invadido por um forte sentimento de injustiça porque a consciência tranquila não faz esquecer o quanto trabalhei durante esta época para chegar ao nível desejado à prova rainha da temporada e ver ruir todo esse projeto. Abre-se assim um precedente grave, fazendo crer que no futuro bastará lançar suspeitas sobre atletas para que os mesmos fiquem automaticamente arredados de competir, condicionando-se assim a verdade desportiva de uma prova", finalizou.

No caso de Luís Mendonça, da GlassDrive, foi a marca a sair em defesa do ciclista, garantindo que o afastamento da equipa se deveu a uma forma de "tentar manter o foco" dos restantes membros na Volta a Portugal, reiterando que Mendonça também "não foi constituído arguido". "Esta é uma tomada de posição que visa essencialmente proteger a imagem dos patrocinadores e parceiros da equipa, do próprio Luís Mendonça e evitar gerar ruído em torno da estrutura de Águeda", afirmou a GlassDrive.

Na mesma nota, a equipa agradeceu a atitude de Luís Mendonça em abdicar da Volta para "proteger a equipa", garantindo que o ciclista não se encontra suspenso e mantém o contrato até 2024.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG