Futebol

F. C. Porto vence em Braga com dois penáltis e fica sem Alex Telles

F. C. Porto vence em Braga com dois penáltis e fica sem Alex Telles

O F. C. Porto venceu este sábado, na Pedreira, o Braga, por 3-2, num jogo frenético da 27.ª jornada da Liga. Os dragões estiveram a perder por duas vezes mas viraram o resultado com duas grandes penalidades.

Wilson Eduardo colocou os minhotos em vantagem logo aos cinco minutos e Soares empatou aos 26, Murilo voltou a colocar o Braga a ganhar aos 47, mas os dragões deram a volta ao marcador com dois penáltis no espaço de 10 minutos, cobrados por Alex Teles e Soares (69 e 79).

O F. C. Porto soma três importantes pontos na luta pelo título, da qual o Sporting de Braga deverá ter ficado definitivamente afastado, esperando agora o jogo do Benfica com o Tondela.

As duas equipas, que voltam a defrontar-se dentro de três dias, na segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, apresentaram poucas alterações em relação aos últimos onzes. No caso do F. C. Porto nenhuma mesmo.

Abel Ferreira viu-se obrigado a mexer na equipa dadas as lesões de Raul Silva e Fransérgio, dando a titularidade a Pablo e Esgaio.

A equipa da casa entrou melhor em jogo e, corolário disso, foi o golo de Wilson Eduardo logo aos cinco minutos. O avançado luso-angolano rematou enrolado depois de assistência de Claudemir, que esteve na génese da jogada ao roubar a bola a meio-campo.

Contudo, o Braga foi baixando no terreno, assumindo uma postura demasiado passiva, e o F. C. Porto tomou conta do jogo por volta do quarto de hora, chegando ao empate aos 26 minutos, na sequência de um canto infantilmente cedido por Bruno Viana.

Felipe desviou ao primeiro poste e Soares, ao segundo, também de cabeça, restabeleceu a igualdade. Sem um médio capaz de pegar no jogo, um remate de ressaca, mas muito por alto, de Marcelo Goiano foi a exceção no jogo cinzento dos arsenalistas até ao intervalo (33).

O F. C. Porto, com Herrera em destaque, era sempre mais perigoso e criou perigo num livre direto de Alex Teles (40) e, logo a seguir, por Marega, em duas situações (41).

Após o intervalo, Brahimi surgiu no lugar de Otávio, mas a segunda parte abriu com o segundo golo dos bracarenses, por Murilo (47), num lance em que o novo internacional português Dyego Sousa foi fundamental a tirar primeiro Pepe com uma simulação e depois Felipe no duelo físico - Murilo teve depois a calma de fazer o golo.

Sérgio Conceição lançou Manafá aos 57 minutos (saiu Pepe) para tornar a equipa mais ofensiva, mas foi pelo lado direito que o Braga criou grande oportunidade para eventualmente matar a partida, com Dyego Sousa a obrigar Casillas a boa defesa (59). Pouco depois, veio a primeira grande penalidade convertida por Alex Teles que se lesionou na marcação do penálti (69).

Fernando Andrade alargou a frente de ataque portista e, sete minutos depois de ter entrado, foi o alvo de nova falta do experiente Claudemir na área bracarense, cabendo desta feita a Soares cobrar a penalidade (79).

Já sem Abel Ferreira no banco, expulso por Jorge Sousa, o Sporting de Braga trocou de ponta-de-lança, com Paulinho a entrar para o lugar de Dyego Sousa (80), de extremo (Xadas por Esgaio, 83), substituições de mero refrescamento da equipa e apenas aos 89 minutos houve risco na entrada de Ricardo Horta para o lugar de Sequeira.

Paulinho não aproveitou um erro de Felipe, atirando ao lado de cabeça (85), e o F. C. Porto segurou a preciosa vitória diante dos bracarenses.