Exclusivo

Cabaz de compras subiu três vezes mais depressa do que os salários

Cabaz de compras subiu três vezes mais depressa do que os salários

Aumento dos alimentos essenciais superior 5% desde que começou a guerra na Ucrânia. Vencimentos médios cresceram apenas 1,7% em janeiro e cada vez chegam para menos.

O salário médio mensal dos portugueses aumentou 1,7% em janeiro face ao homólogo do ano passado, mas os preços dos bens essenciais subiram cerca de três vezes mais. Desde o início da guerra na Ucrânia, segundo a Deco, um cabaz de compras mensal ficou 10 euros mais caro. São mais 5,44%, o que significa mais do triplo do aumento dos salários. "Primeiro, o pretexto foi a pandemia, depois, a seca e, agora, a guerra, mas a especulação é a responsável pelos aumentos até agora", acusa João Dinis, da Confederação Nacional da Agricultura (CNA). "Os efeitos da escassez só vão ser evidentes no verão", prevê. Nessa altura, poderão faltar alguns bens.

De acordo com os dados mensais de remunerações da Segurança Social, o salário médio dos trabalhadores portugueses aumentou 1,7% em janeiro deste ano face ao homólogo de 2021. Para a remuneração média de 1303 euros, contribui o aumento de 6% do salário mínimo nacional, que passou de 665 euros para 705 euros, bem como de 0,9% nos salários da Função Pública. Estes aumentos acabaram por ser absorvidos pela inflação que, segundo o Instituto Nacional de Estatística, chegou a 5,32% em março. Os produtos energéticos contribuíram com 19,78% de aumento, mas também os produtos alimentares não transformados subiram 5,85%.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG