Novas regras

Fim dos vistos gold pode levar a corrida no imobiliário

Fim dos vistos gold pode levar a corrida no imobiliário

Regime para atrair investimento estrangeiro vai acabar em Lisboa, Porto e Algarve a partir de janeiro de 2022.

No próximo ano entram em vigor as novas regras aplicáveis ao investimento feito ao abrigo dos chamados vistos gold. Vai deixar de estar abrangida a compra de imóveis, com destino a habitação, em Lisboa, Porto e litoral. Mas no mercado já se vive o frenesim da mudança.

"Atualmente verificamos um crescimento acentuado de clientes para Golden Visa em Lisboa e no Porto devido ao facto de o programa, no modelo atual, ter uma data definida para o seu término", diz Ricardo Garcia, diretor de Residencial da Savills Portugal. Esta consultora tem tido "muitos clientes, nomeadamente do Médio Oriente, Reino Unido e Estados Unidos, que procuram essencialmente as zonas prime do centro de Lisboa e Porto, para além da linha de Cascais e Comporta/Melides". "Prevê-se um último trimestre forte, com um nível de procura mais elevado do que nos últimos dois anos devido à abertura gradual das fronteiras e maior controlo da pandemia", diz Ricardo Garcia.

Beatriz Rubio, presidente- executiva da RE/MAX Portugal, antecipa que "durante este último quadrimestre haverá uma enorme procura de apartamentos nas regiões que em 2022 deixam de estar no programa de Golden Visa (áreas metropolitanas de Lisboa, Porto e Algarve), seja no investimento dos 500 mil euros ou dos 350 mil euros, em que os processos possam ser entregues até 31 de dezembro de 2021 no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras". Com esta procura, prevê-se que "os valores de mercado continuem a subir até ao final do ano", aponta.

Ricardo Cruz, da UrHome, considera que "estas mudanças irão, mais tarde ou mais cedo, acabar com o programa". E diz que "os valores em Lisboa e Porto vão continuar a aumentar e só vão estabilizar quando houver equilíbrio entre a oferta e a procura, ou seja, quando estivermos perante uma maior celeridade na aprovação de projetos por parte das entidades".

Para a Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários, a expectativa é de que o Governo volte atrás. "Tenho a esperança de que o bom senso impere e que o Governo repense", diz Hugo Santos Ferreira, o presidente. E avisa que os estrangeiros não vão investir no Interior onde não têm garantia de retorno. "Vão investir em Madrid, Barcelona e em Atenas".

Favorecer o Interior
Com o decreto-lei aprovado em fevereiro, o Governo altera o regime dos vistos gold restringindo-o às comunidades intermunicipais do Interior e à Madeira e Açores.

Quebra de 40%
Nos primeiros oito meses de 2021, o investimento captado por via dos vistos gold totalizou 295,1 milhões de euros, um recuo de cerca de 40% face aos mais de 496 milhões nos primeiros oito meses de 2020.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG