Madrugada

Agredidos segurança e profissionais de saúde do hospital de Famalicão

Agredidos segurança e profissionais de saúde do hospital de Famalicão

Um segurança e dois profissionais de saúde que, ao início da madrugada desta terça-feira, estavam a trabalhar na urgência do hospital de Famalicão foram agredidos por um grupo de cerca de dez pessoas.

Segundo as informações que o JN conseguiu recolher, o grupo chegou com uma jovem que diziam ter caído de uma carrinha e começou logo por agredir a enfermeira da triagem. Entretanto, o segurança foi em socorro da profissional, assim como um outro enfermeiro, e ambos acabaram agredidos. O enfermeiro sofreu ferimentos na cabeça e na boca e teve de ser suturado.

Quando a PSP de Famalicão chegou ao local, já os agressores tinham abandonado as instalações. As vítimas não inspiram cuidados.

PUB

Após a confusão, o grupo saiu com a jovem para a qual queriam assistência.

Ao que apurou o JN, na altura, o serviço de urgência não tinha uma afluência significativa.

Esta amanhã, o hospital de Famalicão confirmou que um grupo de cerca de dez indivíduos "irrompeu" pelo serviço de urgência "de forma agressiva" acompanhando uma pessoa do sexo feminino. Contudo, quando lhes foi pedido para se acalmarem pelo segurança, agrediram-no "com violência, forçaram a entrada no serviço", e quando lhe foi pedida calma novamente por outros profissionais voltaram ao ataque, agredindo-os.

"O Centro Hospitalar do Médio Ave condena veemente o comportamento destes indivíduos. Para além dos danos materiais que causaram, são intoleráveis as ações violentas contra vários profissionais que educadamente procuraram assegurar a ordem necessária para prestarem cuidados de saúde", refere a instituição de saúde, em comunicado à imprensa, onde acrescenta estar a prestar todo o apoio aos profissionais.

No mesmo comunicado, refere que a situação foi reportada às autoridades estando o hospital a "promover todas as diligências necessárias para agir judicialmente contra" os individuos em causa.

Relatos recolhidos pelo JN dão conta que a situação foi de imediato comunicada à PSP. Contudo, ter-lhes-á sido dito que teriam de aguardar reforços. A PSP terá chegado à urgência cerca de 45 minutos depois do incidente, numa altura em que os indivíduos já tinham abandonado o local.

A PSP diz que "recebeu uma chamada via 112, comunicando que estaria a ocorrer uma desordem com agressões, envolvendo um grupo de 15 a 20 cidadãos, no serviço de urgência do hospital de Vila Nova de Famalicão". "Foram acionados os meios policiais de serviço, de acordo com os protocolos táticos definidos para o tipo de ocorrência comunicada", aponta a PSP, em nota de imprensa.

Entretanto, acrescenta, os eventuais agressores não foram identificados nem detidos "por os mesmos terem fugido do local". " Estão em curso diligências tendentes a obter indícios que permitam identificar os autores das agressões e dos danos referidos, de forma a que sejam criminalmente responsabilizados pelos mesmos", dizem as autoridades policiais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG