Caso Selminho

BE critica "sobreposição entre negócios privados e responsabilidades públicas"

BE critica "sobreposição entre negócios privados e responsabilidades públicas"

O Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira, numa reação ao julgamento de Rui Moreira, "a sobreposição entre negócios privados e responsabilidades públicas" e disse esperar que "não se verifiquem os prejuízos financeiros e reputacionais" para o Porto decorrentes do acordo assinado em 2014 com a Selminho.

"Em junho de 2017 os eleitos pelo Bloco de Esquerda apresentaram uma participação ao Ministério Público (MP), por considerarem ser esta uma situação em que saiu lesado o interesse público, do município. Hoje, a cidade conheceu a decisão da juíza de instrução que ordenou que Rui Moreira deve ser julgado, confirmando a existência, na acusação do MP, de indícios suficientes nesse sentido", refere a Comissão Coordenadora Concelhia do Porto do BE.

"Reiterando a posição assumida aquando das notícias da acusação em causa ao presidente da Câmara, entendemos que cabe à justiça apurar se existiram eventuais ilícitos criminais, sendo expectativa da Concelhia do Porto do Bloco de Esquerda que não se verifiquem os prejuízos financeiros e reputacionais para a cidade do Porto decorrentes do acordo assinado em 2014 entre o representante do município e a Selminho", prosseguem os bloquistas.

Por fim, escrevem que "a sobreposição entre negócios privados e responsabilidades públicas, condizente com o modelo de cidade-negócio que prevalece no Porto, corrói a política como defesa do bem comum. Tal como desde a primeira hora, sobre este assunto, o Bloco pugnará para o combater, pela transparência e a bem de uma democracia de alta intensidade".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG