Incêndios

Detido agricultor suspeito de ser responsável pelo fogo em Mirandela

Detido agricultor suspeito de ser responsável pelo fogo em Mirandela

A PSP de Mirandela deteve, esta quinta-feira, um homem de 51 anos por suspeita do crime de incêndio em Mirandela.

"O indivíduo estava a realizar trabalhos com utilização de uma máquina agrícola e de forma negligente, ainda por apurar, poderá ter acionado o incêndio", adiantou o Comissário da PSP do distrito de Bragança, Bruno Machado.

O detido será presente a tribunal, na sexta-feira.

Entretanto, o incêndio foi dado como dominado pouco depois das 20 horas. "Conseguimos controlar esta frente ativa com muita dificuldade devido às condições climatéricas adversas, nomeadamente o calor intenso e forte vento", afirmou o comandante distrital do CODIS (Comando Distrital de Operações de Socorro) de Bragança, João Noel Afonso. De qualquer forma, "vão ficar várias equipas a fazer o trabalho de rescaldo durante a noite", adiantou.

O comandante do CODIS de Bragança confirma que houve várias habitações que estiveram ameaçadas pelas chamas. "Houve a necessidade de retirar alguns moradores, mas apenas por questões de segurança e ardeu um armazém agrícola", referiu.

Foi um dia particularmente difícil para os bombeiros do distrito de Bragança. "Estiveram ativos quatro incêndios em simultâneo e todos com necessidade de muitos meios, mas felizmente soubemos dar uma resposta à altura", sublinhou João Noel Afonso.

Três elementos do corpo ativo dos bombeiros voluntários de Mirandela tiveram de receber tratamento hospitalar, devido a inalação de fumo no combate às chamas que deflagraram nas imediações da cidade de Mirandela pelas 11.30 horas.

"Foram levados ao hospital local, apenas por precaução, devido a inalação de fumo e exaustão, mas já tiveram alta", confirmou o comandante em regime de substituição dos bombeiros voluntários de Mirandela, Luís Carlos Soares.

O incêndio começou numa zona de mato próximo da estrada nacional 15, à entrada de Mirandela, junto ao nó de acesso à A4 (Oeste) e rapidamente as chamas chegaram próximo da estrada onde está uma estação de serviço que tem um posto de combustíveis, mas a pronta intervenção de uma equipa de bombeiros levou à extinção do incêndio nas imediações.

Entretanto, ao início da tarde, o vento forte que se fez sentir reacendeu o incêndio que passou a lavrar em zona de mato em direção à localidade de Eixes (Mirandela) e que chegou a ameaçar algumas habitações.

A GNR procedeu mesmo ao corte do trânsito automóvel na Autoestrada Transmontana (A4), durante duas horas, tal como a Nacional 213 que liga Mirandela a Valpaços, e a variante à A4 que também faz a ligação entre os dois concelhos.

Durante a tarde, estiveram envolvidos no combate às chamas 84 operacionais, apoiados por 34 viaturas e dois meios aéreos que só puderam atuar ao final da tarde pelo facto de estarem alocados a outros incêndios no distrito de Bragança: em Guide (Torre de Dona Chama) e no concelho de Torre de Moncorvo.

Outras Notícias