Guimarães

O que se sabe das vítimas mortais do acidente com autocarro na Mealhada

O que se sabe das vítimas mortais do acidente com autocarro na Mealhada

A vida de três pessoas foi interrompida brutalmente esta manhã de sábado, na A1, na zona da Mealhada. O motorista do autocarro e dois peregrinos a caminho de Fátima morreram num acidente de viação, provavelmente causado pelo rebentamento de um pneu.

O acidente, cerca das 9.20 horas da manhã deste sábado, causou três mortos e 33 feridos. Entre as três vítimas mortais do acidente estão dois homens e uma mulher.

Um dos mortos é o motorista do autocarro, António Araújo. Tinha 63 anos, era de Airão Santa Maria e era proprietário da empresa de autocarros Roda do Rei, com dois autocarros, ambos na excursão. Na viagem seguia ainda um outro pesado de passageiros, subcontratado a uma empresa de Arco de Baúlhe.

A outra vítima mortal do sexo masculino, Alberto Soares, de 77 anos, ia na frente do autocarro porque costumava enjoar nas viagens. Residia em Figueiredo, localidade vimaranense de onde saiu a excursão a Fátima, que se realiza desde 2003, sem qualquer incidente até este sábado.

A outra vítima mortal foi identificada como Emília Castro. Tinha saído do trabalho, na têxtil Somelos, em Ronfe, às 6 horas da manhã e seguiu diretamente para a viagem a Fátima. Casada com um Bombeiro das Taipas, tinha 52 anos e deixa três filhos, um deles menor.

PUB

Emília Castro era catequista e geria o coro de Figueiredo, localidade onde vivia. Esta noite ia orientar o ensaio do grupo coral para as comunhões, em junho. Seguia na frente do autocarro para rezar o terço ao microfone durante a viagem.

Os passageiros dos outros dois autocarros regressaram entretanto a Guimarães.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG