Acidente

Carro em despiste mata mulher, condutor do reboque e GNR na A42

Carro em despiste mata mulher, condutor do reboque e GNR na A42

Um despiste na A42, que liga Porto a Paços de Ferreira, provocou este domingo três mortos: uma ocupante da viatura acidentada, um guarda da GNR e o condutor de um veículo de reboque.

O militar da GNR estava no local a prestar apoio a um acidente rodoviário ocorrido anteriormente quando foi atropelado mortalmente. Chamava-se Jorge Gomes, tinha 29 anos e era da freguesia de Duas Igrejas, em Paredes.

Uma jovem, ocupante do veículo que entrou em despiste, e o condutor do reboque também não sobreviveram. Outras três pessoas ficaram feridas.

Segundo o que o JN apurou, um pequeno acidente rodoviário na A42, ocorrido no troço que atravessa Paços de Ferreira, mobilizou os Bombeiros Voluntários de Freamunde e uma patrulha da GNR. O caso foi rapidamente resolvido e foi já quando os bombeiros estavam a proceder à limpeza da via que um segundo despiste teve lugar. Um carro com três ocupantes, que circulava no sentido Porto-Paços de Ferreira, ficou sem controlo e embateu na viatura da Guarda e no reboque que estava a retirar da autoestrada o primeiro carro acidentado, provocando a morte ao militar e ao condutor do reboque.

O acidente obrigou ao corte da A42, com vários carros a terem de fazer inversão de marcha para saírem no nó mais próximo.

Neste momento, estão no local as equipas das viaturas médicas de emergência e reanimação dos hospitais do Vale do Sousa, Pedro Hispano e São João e ainda a viatura de suporte imediato de vida de Santo Tirso, para além de bombeiros. Todos estão a prestar apoio às três vítimas encarceradas no interior do carro que se despistou e ao guarda.

Marcelo lamenta morte em serviço de militar da GNR

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a morte em serviço do militar da GNR no acidente em Paços de Ferreira e o ferimento de outro militar.

"Foi com profunda consternação que o Presidente da República tomou conhecimento, ao fim desta tarde, da morte em serviço do militar da GNR, o cabo Jorge Gomes, e do ferimento de um outro militar que o acompanhava no local numa operação de sinalização de um primeiro acidente", lê-se numa mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa divulgada no portal da Presidência da República na Internet.

O chefe de Estado declara-se "sensível à relevância da missão de fiscalização das estradas pela GNR como forma de dissuasão dos comportamentos de risco e de redução da sinistralidade rodoviária" e "agradece o espírito de missão de todos os elementos da Unidade Nacional de Trânsito neste momento difícil".

Na mesma nota, Marcelo Rebelo de Sousa afirma que estará "atento à recuperação do militar ferido" e dirige "as mais sentidas condolências à GNR e aos familiares do militar que perdeu a vida no cumprimento da sua missão".

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, também enviou uma nota de pesar pela morte do militar da GNR. "Em nome do Governo, manifesto profundo pesar pela morte do Cabo Jorge Gomes, que cumpria o seu dever numa patrulha do Destacamento de Trânsito da GNR do Porto. Neste momento trágico, transmito um voto de solidariedade aos familiares, amigos e a todos os militares da Guarda Nacional Republicana", lê-se na nota.