Porto

Câmara do Porto vai chamar "Amor de Perdição" ao largo da Cadeia da Relação

Câmara do Porto vai chamar "Amor de Perdição" ao largo da Cadeia da Relação

A Câmara do Porto aprovou esta terça-feira chamar "Amor de Perdição" ao largo fronteiriço da Cadeia da Relação e aceitar a doação da estátua "Amores de Camilo", de Francisco Simões, para a colocar na Rua da Cadeia da Relação.

Na reunião camarária de hoje, o presidente da Câmara do Porto esclareceu que a rua Cadeia da Relação "está prevista para o lado direito da Cadeia da Relação", junto ao Palácio da Justiça.

É lá que será colocada a estátua em mármore "Amores de Camilo", que o escultor Francisco Simões doou à autarquia.

A proposta para chamar "Amor de Perdição" ao largo fronteiriço da Cadeia da Relação, aprovada por unanimidade pela Comissão de Toponímia, contou com a abstenção dos vereadores do PS.

Para Manuel Correia Fernandes, "a proposta não respeita o Código Regulamentar do Município em relação à toponímia, nomeadamente porque não foi feita a obrigatória consulta à junta de freguesia".

"Porquê esse nome naquele sítio e porque não aquele sítio ter outro nome?", questionou o socialista.

A decisão da comissão de toponímia, datada do dia 16, foi apresentada ao executivo pelo vereador do Urbanismo, Gonçalo Gonçalves, para que "seja dado o nome 'Largo Amor de Perdição' -- 1862, ao largo fronteiriço à Cadeia da Relação.

PUB

O referido espaço é "limitado a sul pela cadeia da Relação, a norte pelo Jardim João Chagas e ladeada pelo Campo dos Mártires da Pátria", na zona da Cordoaria, freguesia da Vitória.

A proposta da maioria PSD/CDS é apoiada por Vasco Graça Moura, que através do "diretor coordenador" do Centro Cultural de Belém (CCB) propôs à autarquia que "o descerramento da placa" fosse feito no domingo.

A intenção é integrar a cerimónia no "evento de encerramento" do ciclo comemorativo dos 150 anos do livro de Camilo Castelo Branco organizado pelo CCB.

"Este ciclo, a que chamámos 'CCB no CCB -- Camilo Castelo Branco: As paixões juvenis e o Amor de Perdição', conta com alguns momentos fora do CCB, nomeadamente o evento de encerramento no Porto no dia 28, que consiste numa visita guiada a alguns espaços ligados à vida e obra de Camilo" e com "uma homenagem/romagem ao seu túmulo", escreve o diretor coordenador do CCB, na missiva dirigida ao chefe de gabinete da Câmara do Porto.

Na carta, o responsável acrescenta ter sido "informalmente comunicado" de que a autarquia, "ou a sua comissão de toponímia, estaria a considerar a possibilidade de chamar Largo Amor de Perdição ao espaço fronteiro da Cadeia da Relação".

Assim, prossegue o diretor, "Vasco Graça Moura gostaria de propor ao presidente da Câmara que o descerramento de placa ou ato público dessa atribuição pudesse ser feita nesse dia 28, envolvendo a autarquia e garantindo uma maior visibilidade quer a esta importante comemoração camiliana, quer à homenagem que assim lhe seria feita".

Camilo Castelo Branco escreveu "Amor de Perdição" em 1862, cerca de dez anos depois de sido preso na Cadeia da Relação, acusado de cometer adultério com Ana Plácido.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG