Acidente

Casal morre quando tentava fugir dos incêndios em Murça

Casal morre quando tentava fugir dos incêndios em Murça

Um homem e uma mulher, com cerca de 70 anos, morreram na tarde desta segunda-feira, em Murça, quando tentavam fugir de carro dos incêndios que assolam o concelho.

De acordo com informações recolhidas pelo JN, o casal ter-se-á despistado quando fugia das chamas, acabando por morrer no interior do veículo.

As vítimas eram antigos emigrantes que residiam perto da aldeia de Penabeice, na freguesia de Jou, que hoje ficou completamente rodeada pelo fogo, que já atingiu o bairro da Aboleira, em Curros, e caminha em direção a Carrazedo de Montenegro, do vizinho concelho de Valpaços. A freguesia de Jou ficou sem eletricidade.

PUB

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a morte do casal: "Independentemente do contexto em que ocorreu e das causas que o terão motivado, não posso deixar de lamentar profundamente o acidente de viação que motivou duas mortes no concelho de Murça e de apresentar os meus sentimentos aos familiares das vítimas", declarou o chefe de Estado à agência Lusa.

"O que sabemos é que foi um acidente rodoviário, portanto, um despiste seguido de capotamento. Neste momento, a GNR está no local a fazer a recolha e a apurar as circunstâncias factuais em que o acidente se deu", afirmou o comandante da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), André Fernandes, no 'briefing' desta noite realizado na sede da ANEPC, em Carnaxide, Oeiras.

Questionado sobre mais informações relativas à morte das duas pessoas, o responsável reiterou que a GNR está no terreno e sublinhou que os meios operacionais foram disponibilizados para o incêndio de Murça, no distrito de Vila Real.

"Lamentamos essas duas vítimas. É uma zona onde o incêndio se estava a desenvolver, mas estão todos os meios operacionais no terreno, nomeadamente a GNR a fazer essa validação para termos a certeza das circunstâncias em que o acidente se deu", frisou, acrescentando: "Estão a fazer neste momento essa investigação. Quando houver dados, serão públicos".

André Fernandes incluiu estes dois mortos no balanço das vítimas mortais registadas no âmbito dos incêndios desde 7 de julho, elevando o total para três, depois da morte de um piloto na sexta-feira, após a queda da aeronave em que seguia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG