O Jogo ao Vivo

Covid-19

Agência Europeia dá luz verde à vacina da AstraZeneca

Agência Europeia dá luz verde à vacina da AstraZeneca

A vacina da AstraZeneca contra a covid-19 já recebeu aval para uso na Europa. O próximo passo é a aprovação da Comissão Europeia.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) deu, pela terceira vez, um parecer científico positivo para a utilização de uma vacina contra a covid-19. Às da Pfizer e da Moderna, junta-se agora a vacina da farmacêutica britânica AstraZeneca, desenvolvida em conjunto com a Universidade de Oxford.

Quando a aprovação for confirmada pela Comissão Europeia, a vacina poderá começar a ser distribuída pelos 27 Estados-membros da União Europeia.

Depois de a AstraZeneca ter anunciado, nos últimos dias, atrasos na distribuição de vacinas, Portugal vai receber, entre fevereiro e março, cerca de 700 mil doses desta farmacêutica, metade das 1,4 milhões inicialmente previstas.

No Reino Unido, esta vacina já começou a ser administrada depois de ter sido aprovada no final do ano passado.

Envolta em polémica

A vacina desenvolvida pela AstraZeneca é aquela que está envolta em grande polémica, depois de o laboratório britânico ter recentemente anunciado que não irá cumprir o fornecimento das doses contratualizadas com a Comissão Europeia.

PUB

A vacina da AstraZeneca está ainda envolta numa outra polémica, depois de a Alemanha considerar que a mesma só deve ser administrada a menores de 65 anos, devido a uma alegada falta de dados sobre a sua eficácia nas pessoas com uma idade superior. Berlim havia hoje mesmo dito esperar que a UE aprovasse a vacina produzida pela AstraZeneca mas com "restrições" em termos etários, o que acabou por não acontecer.

Em comunicado, a EMA reconhece que, nos vários ensaios levados a cabo, participaram sobretudo pessoas com idades compreendidas entre os 18 e 55 anos, e não há ainda resultados suficientes nos participantes com mais de 55 anos para avaliar com rigor a eficácia da vacina acima desta faixa etária, mas argumenta que, "no entanto, é esperada proteção, já que se verifica uma resposta imunitária neste grupo etário e com base na experiência com outras vacinas".

"Uma vez que existe informação fiável sobre segurança [da vacina] nesta população, os peritos científicos da EMA consideraram que a vacina pode ser utilizada em adultos mais velhos", indica a agência, acrescentando que é aguardada "mais informação de estudos em curso, que incluem uma maior proporção de participantes mais idosos".

*com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG