Espanha

Carga policial em Pamplona durante manifestação de apoio a rapper Hasél

Carga policial em Pamplona durante manifestação de apoio a rapper Hasél

Uma manifestação em Pamplona para exigir a libertação do rapper Pablo Hasél resultou, este sábado, numa carga policial, tendo-se também realizado manifestações e registado incidentes em outras cidades espanholas.

Segundo a Polícia Nacional espanhola, citada pela agência Efe, alguns dos manifestantes começaram a insultar os agentes e a atirar-lhes objetos, o que originou cargas antimotim por parte da força de segurança. Durante os protestos também foram queimados caixotes do lixo.

A manifestação que, segundo a Delegação do Governo, contou com a participação de cerca de 800 pessoas, foi convocada pela Gazte Koordinadora Sozialista e partiu às 20 horas locais (19 horas em Portugal continental) da Plaza de Recoletas, em Pamplona.

Em Barcelona, as lojas do Paseo de Gracia, onde se concentram as principais marcas de luxo, foram vandalizadas e saqueadas durante o protesto a pedir a libertação do rapper catalão.

Um grande grupo de manifestantes encapuçados separou-se da manifestação de apoio a Hasél, que reuniu cerca de seis mil pessoas no centro da cidade, e subiu o Paseo de Gracia em direção à avenida Diagonal, causando danos significativos nas lojas da zona.

A destruição verificou-se em todo o Paseo de Gracia, que vai desde a Plaza de Catalunya até à Diagonal, onde manifestantes encapuçados também montaram várias barricadas, queimando contentores, mobiliário urbano e incendiaram as portas do edifício da Bolsa de Barcelona, embora as chamas não tenham afetado o interior do edifício.

PUB

No centro de Madrid também se concentraram durante a tarde, pacificamente, mais de uma centena de pessoas, pela segunda vez esta semana, para apoiar o rapper, perante um dispositivo de segurança montado para evitar a repetição dos tumultos de quarta-feira.

Em Santander, cerca de 150 jovens pediram a liberdade do músico, num comício pacífico, sem incidentes.

Em Tarragona registaram-se também distúrbios. Várias pessoas encapuçadas atiraram garrafas à polícia e partiram vidros num tribunal e no edifício de um banco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG