Tensão

Fim da neutralidade militar finlandesa seria "erro", diz Putin

Fim da neutralidade militar finlandesa seria "erro", diz Putin

O fim da neutralidade militar da Finlândia seria um "erro", disse este sábado o presidente russo, durante uma conversa telefónica com o seu homólogo finlandês, Sauli Niinistö.

"Vladimir Putin sublinhou que o fim da política tradicional de neutralidade militar seria um erro, já que não existe qualquer ameaça à segurança da Finlândia", fez saber o Kremlin, um dia antes do esperado anúncio oficial da candidatura de adesão da Finlândia à NATO, muito mal vista por Moscovo.

"Tal mudança na orientação política do país pode ter um impacto negativo nas relações russo-finlandesas, que se desenvolveram há anos no espírito de boa vizinhança e cooperação entre parceiros, sendo mutuamente benéficas", referiu o Kremlin em comunicado.

Putin também informou o seu homólogo finlandês sobre "o estado das negociações russo-ucranianas, praticamente suspensas por Kiev, que não manifesta algum interesse num diálogo construtivo e sério".

O presidente finlandês, Sauli Niinistö, que telefonou hoje ao homólogo russo, disse que "a conversa foi direta e decorreu sem contrariedades". "Evitar as tensões foi o ponto considerado relevante", disse o chefe de Estado finlandês num comunicado à imprensa, citado pela AFP.

PUB

A Finlândia, que tem uma longa fronteira com a Rússia, anunciou na quinta-feira o desejo de passar a integrar a NATO. Moscovo alertou logo que adotaria medidas "técnico-militares", já que esta decisão ameaça a segurança do país ao abrir um novo flanco da Aliança Atlântica no norte do continente europeu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG