Covid-19

Itália é o nono país europeu a suspender lote da vacina da AstraZeneca

Itália é o nono país europeu a suspender lote da vacina da AstraZeneca

A Agência de Medicamentos Italiana (AIFA) anunciou esta quinta-feira que suspendeu temporariamente a vacinação de um lote da farmacêutica AstraZeneca por precaução, após relatos de problemas de coagulação diagnosticados em vários países europeus. Itália é o nono país a suspender a vacina.

A AIFA explicou, em nota, que após informações sobre problemas de saúde detetados em outros países europeus, bloqueou a inoculação das doses do lote ABV2856.

Além disso, reserva-se o direito de tomar outras medidas, quando necessário, também em estreita coordenação com a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

A AIFA enfatizou que, até ao momento, "não foi estabelecido algum nexo causal entre a administração da vacina e esses eventos" detetados em outros países e que os controlos necessários estão a ser realizados, coletando-se a documentação clínica pertinente.

As amostras deste lote serão analisadas pelo Instituto Nacional de Saúde Italiano.

A EMA garantiu esta quinta-feira à agência de notícias EFE que nos Países Baixos atualmente se está a estudar relatórios sobre problemas de coagulação diagnosticados em vários países europeus coincidentes com a receção de uma vacina AstraZeneca e que pode emitir conselhos "hoje ou sexta-feira" sobre o assunto na União Europeia (UE).

PUB

A Dinamarca suspendeu por precaução a utilização da vacina AstraZeneca contra a covid-19 devido a receios relacionados com a formação de coágulos sanguíneos nas pessoas vacinadas, anunciou esta quinta-feira a autoridade sanitária do país.

A suspensão acontece "após relatos de casos graves de formação de coágulos sanguíneos em pessoas que foram inoculadas com a vacina covid-19 da AstraZeneca", indicou a Agência Nacional de Saúde dinamarquesa, sublinhando que, "neste momento, não se pode concluir a existência de uma ligação entre a vacina e os coágulos sanguíneos".

As autoridades de saúde da Noruega anunciaram esta quinta-feira também a suspensão, "como medida preventiva", de vacinas contra a covid-19 da AstraZeneca, seguindo o exemplo de outros países, que tomaram idêntica decisão com receio de efeitos secundários. A Islândia também anunciou a suspensão.

A Áustria anunciou no domingo ter interrompido a administração de um lote de vacinas produzidas pelo laboratório anglo-sueco após a morte de uma enfermeira de 49 anos que sucumbiu a "sérios problemas de coagulação" poucos dias depois de ter recebido a vacina.

Quatro outros países europeus, Estónia, Lituânia, Letónia e Luxemburgo, suspenderam depois a vacinação com doses provenientes do mesmo lote, entregue em 17 países e que incluía um milhão de vacinas.

Após o anúncio da suspensão na Áustria, no domingo, o Infarmed assegurou que aquele lote de vacinas da AstraZeneca "não está a ser utilizado em Portugal". "O INFARMED, I.P., verificou a documentação referente às receções das vacinas AstraZeneca chegadas a Portugal e confirma que o referido lote da vacina AZ, ABV 5300, não foi rececionado nem distribuído em Portugal", informou em comunicado.

Na quarta-feira, um inquérito preliminar da EMA sublinhava que não existia qualquer relação entre a vacina da AstraZeneca e a morte ocorrida na Áustria.

Até 9 de março, apenas 22 casos de tromboses tinham sido assinalados em mais de três milhões de pessoas vacinadas no espaço económico europeu, segundo a EMA.

A Itália já administrou 6.005.183 vacinas de diferentes empresas farmacêuticas que abastecem o país e 1.803.693 pessoas já foram imunizadas com as duas doses necessárias.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.621.295 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,9 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG