O Jogo ao Vivo

Ambiente

Ministro escreveu a Greta: "Já perdemos 13 quilómetros quadrados de área costeira"

Ministro escreveu a Greta: "Já perdemos 13 quilómetros quadrados de área costeira"

O ministro do Ambiente enviou uma carta de boas vindas à ativista ambiental Greta Thunberg, na qual agradece o ativismo e diz que Portugal é um dos países europeus que mais sofre com as alterações climáticas.

"Bem-vinda a Portugal, o primeiro país do mundo a assumir o compromisso de alcançar a neutralidade de carbono em 2050". Assim começa a carta, escrita em inglês, por João Pedro Matos Fernandes, que sublinha que 54% do consumo elétrico do país já provém de energias renováveis.

Segundo escreveu o ministro, estão em andamento projetos para o encerramento das duas últimas fábricas de carvão no país, uma em 2021 e outra em 2023. E até 2030 pretende-se alcançar 50% de redução do total de emissões de gases com efeito de estufa, num país onde não existe "qualquer central nuclear".

Por outro lado, "Portugal é um dos países europeus que mais sofre com as consequências das alterações climáticas. Como resultado da subida do nível do mar, nos últimos anos, já perdemos 13 quilómetros quadrados de área costeira", afirma o governante, na missiva de boas vindas à ativista, cuja chegada a Lisboa está prevista para terça-feira. "No Sul, a seca é crónica e teremos de aprender a adaptar os nossos recursos", apontou ainda, rematando com a ideia de que Portugal tem "uma estratégia muito ambiciosa, que segue com rigor tratando o problema como atual e não de futuro".

Na carta, enviada à jovem sueca na semana passada, o ministro do Ambiente agradece ainda o ativismo da jovem na medida em que sensibiliza "muitas pessoas, desde jovens a gerações mais velhas, para o maior desafio dos nossos tempos".

Quando sair do catamarã em que se desloca e pisar solo português, Greta Thunberg vai ser recebida pelo presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, estando ainda prevista uma conferência de imprensa no local. A jovem sueca vai marcar ainda presença na conferência das alterações climáticas da ONU, em Madrid.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG