Covid-19

EMA avalia se tromboses em vacinados com AstraZeneca são efeito ou "coincidência"

EMA avalia se tromboses em vacinados com AstraZeneca são efeito ou "coincidência"

Ainda sem conclusões finais sobre o risco da vacina da AstraZeneca contra a covid-19, a Agência Europeia de Medicamentos está a avaliar os eventuais efeitos adversos, prometendo respostas para quinta-feira. Para já, descansa a comunidade: "O que autorizámos é seguro."

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) encontra-se a investigar os eventuais efeitos secundários adversos da vacina da AstraZeneca, assegurou a diretora-executiva da autoridade, Emer Cooke, remetendo conclusões para quinta-feira. Em causa estão casos "muito raros" de formação de coágulos sanguíneos verificados em pessoas que foram inoculadas com a substância da farmacêutica anglo-sueca. O processo de investigação "está em andamento" e conta com especialistas em tromboembolismo, garantiu a responsável da EMA, salientando que, até ao momento, os benefícios da vacinação continuam superiores aos riscos.

"O nosso papel é investigar, para verificarmos se isto é um efeito colateral real da vacina ou uma coincidência", disse Emer Cooke, ressalvando que formação de coágulos pode dever-se a outras causas, não havendo necessariamente uma relação causa-efeito. Sublinhando que o número de casos de formação de coágulos sanguíneos nas pessoas vacinadas não parece superior ao registado na população em geral, a responsável do regulador europeu indicou que a agência está a analisar, caso a caso, os incidentes registados (a avaliação inclui toda a informação disponível sobre a vacina e a informação clínica dos pacientes em que as situações foram registadas).

"Estamos a verificar mais casos por toda a Europa. Estamos a verificar que mais lotes [da vacina] estão envolvidos. Por isso, é improvável que seja um problema de um lote. Mas não podemos descartar essa hipótese. Não podemos descartar a hipótese que possa haver algum problema relacionado com o fabrico. Isso é uma preocupação", admitiu ainda.

Emer Cooke lembrou que "várias autoridades responsáveis pelas campanhas de vacinação nacionais em países da UE pausaram temporariamente a vacinação com a vacina contra a covid-19 da AstraZeneca" - são cerca de 20 países europeus, entre os quais Portugal, Espanha, França, Itália, Irlanda, Países Baixos, Alemanha, Islândia, Noruega e Bulgária, além de outros noutros continentes.

PUB

O grupo farmacêutico garantiu não haver "qualquer prova da existência de um risco aumentado" de se verificarem coágulos sanguíneos causados pelavacina. E o comité de especialistas da Organização Mundial da Saúde para a segurança de vacinas reúne-se hoje.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG