Condução

Infrações por falta de inspeção a veículos aumentaram 53% em 2021

Infrações por falta de inspeção a veículos aumentaram 53% em 2021

Os dados provisórios de 2021 da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR) registam um aumento do número de infrações relacionadas com a falta de inspeção a automóveis.

Carlos Lopes, diretor da Unidade de Prevenção e Segurança Rodoviária na ANSR, disse esta sexta-feira que "os portugueses estão a ter menos cuidados com os veículos" e parte da explicação pode dever-se a "razões económicas ou de outra ordem".

No retrato global do número de infrações, apresentadas numa sessão em Almada sobre o balanço de 2021 da sinistralidade e fiscalização rodoviária, a falta de inspeção representa 5%. No entanto, o representante da ANSR defende que deixar "degradar os veículos tem consequências muito graves".

No topo das infrações, está o excesso de velocidade que representa 59, 4%. A Guarda Nacional Republicana (GNR) contabilizou mais de 142 mil veículos em excesso de velocidade (142 721), adiantou o tenente-coronel Paulo Gonçalves.

Relativamente à distribuição do número de detenções, resultantes de infrações que constituem crime, a taxa de álcool no sangue (igual ou superior a 1,2 g/l) representou 47,1% em 2021. Na mesma categoria, a falta de habilitação legal para conduzir está nos 41,4%.

De 2020 (1,62) para 2021 (1,65), a taxa de infração por condução sob o efeito de álcool registou um aumento de 0,03 pontos percentuais. A Polícia de Segurança Pública (PSP) registou 28 infrações por dia de condução sob o efeito de álcool, durante o ano de 2021, de acordo com dados relevados pelo subintendente João Ramos, na mesma sessão.

PUB

A criminalidade rodoviária aumentou 27%, de acordo com a ANSR, num total de 25 388 detenções. Também a PSP registou um aumento na ordem dos 15% da criminalidade rodoviária, relativamente ao ano de 2020.

Até ao final do ano passado, 438 739 condutores foram sancionados com a perda de pontos na carta de condução, um aumento de 80% face a 2020 (244 258).

Mais de 300 pessoas perderam a vida na estrada

Os resultados provisórios da ANSR relativamente à sinistralidade rodoviária em 2021 apontam para o registo de 389 vítimas mortais em Portugal Continental. O número representa uma redução de 18% face ao ano de 2019 e de 0,3% face a 2020. No total, no ano passado, houve 28 868 acidentes com vítimas (2093 feridos graves e 33 812 feridos leves).

Carlos Lopes adiantou na sessão de apresentação que houve, em 2021, uma "preponderância dos despistes e colisões e uma menor incidência de atropelamentos [menos 20%]" na categoria das vítimas mortais. O maior crescimento da mortalidade na estrada foi registado nos distritos de Bragança, Braga e Vila Real.

Por seu lado, Carlos Mata, adjunto de Operações Nacional no Comando Nacional da Emergência e Proteção Civil, revelou que, entre as ocorrências com maior número de operacionais envolvidos em 2021, destacaram-se: um sinistro em Loulé, a 29 de outubro, cujas oito vítimas (uma mortal) eram todas de nacionalidade estrangeira e outro em Penafiel, a 29 de dezembro, também com oito vítimas (uma mortal).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG