Balanço

Mortes por Covid-19 em Portugal sobem para 209. Há 9034 infetados

Mortes por Covid-19 em Portugal sobem para 209. Há 9034 infetados

O número de casos de Covid-19 em Portugal subiu, esta quinta-feira, de 8251 para 9034, um aumento de 9,4% (mais 783 novos infetados). Há 209 vítimas mortais, mais 22 do que ontem.

De acordo com o boletim da situação epidemiológica no país divulgado hoje pela Direção-Geral da Saúde, o número de infetados com o novo coronavírus aumentou 783 face a quarta-feira, para 9034. Destes, 1042 estão internados, 240 deles em cuidados intensivos.

A taxa de crescimento de novos casos voltou, hoje, a descer, para 9,4% (ontem tinha sido de 10,9% e, na terça-feira, de 13,9%).

Do total de mortes (209), 107 registaram-se no Norte, onde há 5338 casos de infeção, 55 na região Centro (1161 infetados), 44 na Grande Lisboa (2207) e três no Algarve (164). No Alentejo, nos Açores e na Madeira, sem vítimas mortais a registar, há 59, 57 e 48 doentes, respetivamente.

Do total de casos confirmados (que inclui 1968 idosos com mais de 70 anos), 550 foram importados de 40 territórios estrangeiros, a maior parte de Espanha e França, tendo os restantes sido provocados por contágio dentro do país.

Com mais do dobro dos casos da Grande Lisboa, o Norte continua a ser a região com maior aumento de casos. No entanto, é o concelho de Lisboa que tem mais infetados (594), seguindo-se o Porto, com 556, Gaia (418), Gondomar (373) e Maia (361). O número de casos por concelho baseia-se agora apenas nos dados do sistema SINAVE, correspondentes a 79% dos casos confirmados, depois de uma "duplicação da contagem" ter originado erros nos valores.

Após vários dias em que o número de recuperados permaneceu em 43, situação que a DGS explicou, admitindo que haverá sempre um "atraso" a reportar estes casos, o número de pessoas curadas passou, esta quinta-feira, para 68.

A aguardar resultado laboratorial estão ainda 4958 suspeitas e mais de 21 mil estão sob vigilância das autoridades de saúde. Desde o início da pandemia em Portugal, houve mais de 66 mil suspeitas.

De recordar que, após proposta de Marcelo Rebelo de Sousa, o Parlamento aprovou, esta quinta-feira, o prolongamento do estado de emergência até ao dia 17 de abril.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG