Exclusivo

Receita fiscal das autarquias dispara à custa do imobiliário

Receita fiscal das autarquias dispara à custa do imobiliário

Imobiliário foi o principal responsável pelo valor arrecadado até junho. Só o IMT rendeu mais 301 milhões de euros do que em igual período de 2021.

Em dez anos, os municípios nunca arrecadaram tanto dinheiro em impostos como na primeira metade deste ano. Entre janeiro e junho de 2022, a receita fiscal da Administração Local disparou, ultrapassando os 1,79 mil milhões de euros, sobretudo, à boleia de negócios imobiliários. Por dia, receberam, em média, 9,93 milhões de euros.

O dinamismo do mercado imobiliário e o aumento do custo da habitação estão a engordar os cofres municipais. O imposto municipal sobre as transmissões onerosas de imóveis (IMT) é o principal responsável pelo crescimento da receita fiscal do poder local. A bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados lembra que, mesmo no auge da pandemia, houve um abrandamento significativo no setor imobiliário e que podem estar a ser fechados, agora, negócios que tinham ficado adiados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG