O Jogo ao Vivo

Cultura

Seiva Trupe, Palmilha Dentada e Ao Cabo Teatro sem apoios da DGArtes

Seiva Trupe, Palmilha Dentada e Ao Cabo Teatro sem apoios da DGArtes

As companhias do Porto Seiva Trupe, Palmilha Dentada e Ao Cabo Teatro não vão receber apoios da DGArtes, segundo os resultados provisórios enviados, esta sexta-feira, às companhias que entraram no concurso de financiamento para o biénio 2020/2021.

Segundo as informações a que o JN teve acesso, estas três companhias de Teatro da Invicta ficaram de fora da linha de apoios a que concorreram.

Em sentido inverso, o Teatro Experimental do Porto (TEP), conseguiu, desta vez, financiamento para a sua atividade, apurou o JN. Também do Porto, o FITEI - Festival Internacional de Expressão Ibérica voltou a ser financiado, ainda que com uma "redução significativa do apoio", comentou ao JN Gonçalo Amorim, diretor artístico dos dois projetos.

O Festival Internacional de Marionetas do Porto (FIMP) voltou, depois de no concurso anterior ter sido excluído, a ser apoiado. Foi a segunda entidade mais pontuada no seu concurso específico. Segundo Igor Gandra, diretor artístico, a "qualidade artística do projeto e adequação da montagem orçamental" foram fatores chave para a atribuição do financiamento, revelou ao JN.

Na Área Metropolitana de Lisboa, houve 21 estruturas teatrais que também não vão receber apoios, como é o caso da Barraca, da Casa Conveniente ou da GRIOT. O mesmo aconteceu com a histórica companhia de Évora, Cendrev - Centro Dramático de Évora, que voltou a ficar excluída.

Na Dança, as companhias Nome Próprio e Ballet Contemporâneo do Norte estão entre os contemplados com financiamento, na Zona Norte. Sem apoio ficaram os grupos Útero Associação Cultural e Neurónio Talentoso. Destaque, na Área Metropolitana de Lisboa, para a companhia de Clara Andermatt (que vai ser apoiada) e para a Associação Companhia Portuguesa de Bailado Contemporâneo (que foi excluída).

No concurso para Programação, para além do FITEI e do FIMP, entre outros, o júri atribuiu também apoios à Associação Porta Jazz, à Associação Pró-Música da Póvoa de Varzim, à Pele, à Saco Azul ou à Academia de Música de Espinho.

Na área de circo contemporâneo, a Erva Daninha e a Contra Regra foram as únicas estruturas a ser contempladas.

Os números gerais do concurso de apoio às artes foram divulgados, esta sexta-feira, pela Direção-geral das Artes. Os resultados são ainda provisórios - segue-se a fase de audiência de interessados, que terminará no próximo dia 25 de outubro.

Nestas linhas de apoio, o ministério da Cultura apoia "projetos e atividades na área das Artes Performativas (nas quais se incluem o circo contemporâneo e as artes de rua, a dança, a música e oteatro), na área das Artes Visuais (que integram a arquitetura, as artes plásticas, design, fotografia e novos media) e na área de Cruzamento Disciplinar."

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG