Rio Ave - F. C. Porto

Três "disparos" resolvem o assunto Champions

Três "disparos" resolvem o assunto Champions

Dragões carimbam acesso direto à liga dos milhões com uma vitória clara nos Arcos. Rio Ave soma 11.º jogo seguido sem ganhar e o perigo de descida é cada vez maior.

Depois de ficar arrumada a questão do título para o Sporting, eis que a luta pelo segundo lugar também já está decidida. O F. C. Porto tinha de conseguir uma vitória nas duas últimas jornadas para garantir o acesso direto à Champions e resolveu o assunto logo à primeira tentativa, perante um Rio Ave cada vez mais aflito na fuga à despromoção. Três golos na segunda parte desfizeram o equilíbrio que se vira até ao intervalo e selaram o destino da partida a favor dos dragões.

Os vila-condenses estiveram bem no jogo até ficarem em desvantagem no marcador, mas desmoronaram-se por completo a partir daí, notando-se imenso a debilidade anímica que os péssimos resultados das últimas semanas trouxeram à equipa de Miguel Cardoso (com o de ontem, já são 11 jogos consecutivos sem ganhar). Depois de 45 minutos anémicos, o F. C. Porto foi muito eficaz nas oportunidades que teve na etapa complementar e os golos de Toni Martínez, Luis Díaz e Sérgio Oliveira, este saído do banco para faturar na primeira vez em que tocou na bola, surgiram com alguma naturalidade.

Com exceção da presença de Diogo Leite no lugar do castigado Mbemba, Sérgio Conceição manteve o onze da jornada anterior, mas a entrada portista no encontro não foi tão assertiva como a do jogo com o Farense, perante um Rio Ave concentrado e disposto a lutar pelos pontos que tanta falta lhe fazem. A equipa da casa esteve mesmo duas vezes perto de chegar à vantagem, mas a noite não correu de feição a Carlos Mané. Na outra área, Taremi também não foi feliz no regresso a Vila do Conde e, no melhor lance que teve, acertou na barra.

A segunda parte ia pelo mesmo caminho até que João Mário descobriu Martínez na área do Rio Ave e o espanhol aproveitou o espaço para desfazer o nulo. O golo sofrido deitou o Rio Ave abaixo e o F. C. Porto sentiu o sangue da presa para acabar com a partida em menos de um quarto de hora, tendo ainda tempo para devolver Marcano à competição, mais de um ano depois de ter jogado a última vez pela equipa de Conceição.

PUB

Veja o resumo do jogo:

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG