Maus tratos

Idosa coberta de formigas: lar só instaurou inquérito três meses depois

Idosa coberta de formigas: lar só instaurou inquérito três meses depois

Florinda Queiroz foi encontrada coberta de formigas e com uma ferida aberta numa perna, no lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, em junho. Provedora diz ao JN que instaurou inquérito interno, mas tal só aconteceu após a Segurança Social ir ao local, neste mês de setembro.

Florinda Queiroz deu entrada no lar da Santa Casa da Misericórdia (SCM) de Boliqueime a 9 de março, a pedido da Segurança Social, já com uma ferida no pé, disse ao JN Sílvia Sebastião, provedora da instituição.

Dia 21 desse mês foi internada no Hospital de Faro devido à ferida no pé, e teve alta no dia seguinte. Voltaria ao hospital a 6 de abril "porque o seu estado de saúde agravou-se" e regressou ao lar a 20 de maio, "amputada de uma perna, com escara e sonda gástrica".

PUB

Segundo Sílvia Sebastião, foi a 12 de junho que o turno das 8 horas detetou que a utente estava coberta de formigas. "É limpa, tratada", garante a provedora ao JN, e "os funcionários dos turnos anteriores levaram uma reprimenda". Não é instaurado inquérito interno.

O caso foi filmado por uma funcionária, mas o lar desconhecia.

A 8 de setembro, o lar da Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime recebe uma visita da Segurança Social, Saúde Pública e GNR na sequência de uma denúncia com base no vídeo. Só nesta altura a provedora instaura um inquérito.

Florinda Queiroz, de 86 anos, morreu a 24 de julho.

Num comunicado publicado no Facebook, após o caso ser divulgado, a SCM reconhece que se trata de uma "negligência grave" e adianta que determinou "a instauração de um inquérito de natureza disciplinar para apurar quem é (são) o(s) responsável(is) por esta situação inadmissível e será implacável (sempre no respeito da lei e dos direitos de todos os envolvidos) na punição".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG