Corrupção

Ex-presidente da Câmara de Montalegre fica na prisão

Ex-presidente da Câmara de Montalegre fica na prisão

Apenas o ex-presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves, vai ficar em prisão preventiva, no caso de suspeitas de corrupção na autarquia a que presidia. A decisão foi comunicada esta segunda-feira à tarde, no Tribunal de Instrução Criminal do Porto (TIC). Os outros dois arguidos ficaram em liberdade, mas estão obrigados a pagar elevadas quantias de caução.

No caso do ex-vice-presidente David Teixeira, o valor da caução é de 100 mil euros. Já no caso do chefe de Divisão de Obras municipais o montante decretado pelo juiz é de 50 mil.

Estes dois arguidos ficaram também com suspensão imediata de funções e proibidos de se contactarem entre si e com outros arguidos do processo.

PUB

Orlando Alves, David Teixeira e o chefe de gabinete da divisão de obras municipais foram detidos na quinta-feira pela Policia Judiciária (PJ) no âmbito da operação "Alquimia" por estarem indiciados dos crimes de associação criminosa, prevaricação, recebimento indevido de vantagem, falsificação de documentos, abuso de poder e participação económica em negócio.

Orlando Alves e David Teixeira assumiram os cargos na Câmara de Montalegre em 2013, e estavam a cumprir o terceiro mandato.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG