Investigação

Traficantes tinham quatro lanchas rápidas em armazém na zona de Lisboa

Traficantes tinham quatro lanchas rápidas em armazém na zona de Lisboa

A PSP descobriu e apreendeu quatro lanchas rápidas num armazém da Grande Lisboa, que seria usado por uma estrutura logística de preparação de operações de tráfico de droga internacional.

Nas buscas, que abrangeram 13 locais, foram detidos quatro homens, dos quais dois ficaram, por decisão do tribunal, a aguardar o desenrolar do processo em prisão preventiva. O terceiro indivíduo ficou sujeito a apresentações diárias às autoridades e o quarto foi libertado sem que lhe fosse aplicada uma medida de coação.

Desde que, em 2018, Espanha proibiu a construção e posse de determinadas embarcações insufláveis e semirrígidas que as redes de tráfico internacional têm transferido as suas operações para Portugal, onde as lanchas "voadoras" são legais. Nos últimos meses, as forças de segurança, em particular a GNR, têm descoberto lanchas abandonadas ou danificadas ao longo da costa nacional, mas esta será uma das raras vezes em que a apreensão está associada à detenção de alguém.

PUB

Investigado há um ano

De acordo com informações recolhidas pelo JN, as buscas decorreram a 21 de março no âmbito de uma investigação, iniciada há mais de um ano, a um alegado responsável pela distribuição de cocaína no distrito de Lisboa.

Durante o inquérito, a PSP percebeu que este estará ligado a uma estrutura logística destinada à preparação de operações de tráfico internacional com recurso a lanchas rápidas. Por apurar está ainda se o transporte da droga seria feito desde outro continente ou de cargueiros em alto-mar. Não é igualmente claro quem é o responsável pelas quatro lanchas agora apreendidas.

Certo é que estas foram descobertas num armazém detetado durante a vigilância, nos últimos meses, do suspeito, visto também a transportar grandes quantidades de combustível.

Nas buscas a 13 locais, foram apreendidos, além das lanchas, 236 jerricãs de 30 litros cheios de gasolina, 32 mil euros em numerário, duas mil doses de haxixe e 140 de cocaína e armas.

Além de tráfico de droga, os arguidos, com antecedentes criminais, dedicar-se-iam ainda, adiantou ontem numa nota a PSP, ao furto e desmantelamento de carros e à falsificação de cartões de cidadão e cartas de condução. A investigação prossegue.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG