O Jogo ao Vivo

A PSP de Setúbal abriu um inquérito disciplinar para averiguar a existência de força excessiva na atuação de agentes do Barreiro para deter um homem que se recusava a ser revistado, esta segunda-feira.

Barreiro

Inquérito disciplinar a polícias envolvidos em detenção violenta

Inquérito disciplinar a polícias envolvidos em detenção violenta

Em causa estão "dúvidas quanto à conformidade dos procedimentos do uso da força executados". O caso ocorreu às 17.40 horas e foi filmado por moradores na rua Capitão Aviador Francisco Fernandes Carvalho.

No vídeo, é possível ver um homem a falar de forma exaltada com um agente da PSP. Aponta os dedos ao agente que o segura pelo pescoço e o atira contra um vão de escada. Nesse momento, outros três agentes juntam-se para imobilizar o cidadão. Um deles é visto no vão de escadas por cima do homem, a segurá-lo pelo pescoço. O homem é depois imobilizado no chão, algemado e colocado na viatura da PSP.

O caso teve início numa denúncia que dava conta de um grupo de indivíduos se encontravam na rua Capitão Aviador Francisco Fernandes Carvalho, no Barreiro, em ajuntamento e a consumir bebidas alcoólicas na via pública.

De acordo com a PSP, ao abordar o grupo, um dos cidadãos visados adotou "uma postura de confrontação e oposição contra a ação policial, nomeadamente injuriando um dos polícias". Havendo a suspeita que o indivíduo tinha na sua posse estupefaciente, foi-lhe comunicado que iria ser sujeito a uma revista sumária, tendo este recusado submeter-se à mesma. "Os polícias procederam à restrição do suspeito e a uma revista coerciva do mesmo, tendo sido encontrado na sua posse haxixe e uma arma branca proibida, denominada "butterfly", pelo que se procedeu à sua detenção".

No transporte e na esquadra, "o detido manteve sempre uma conduta exaltada, agressiva, proferindo ameaças constantes ao agente detentor", aponta a PSP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG