Covid-19

Austrália limita chegadas ao país para travar variante Delta

Austrália limita chegadas ao país para travar variante Delta

A Austrália vai reduzir para metade o número de chegadas internacionais, numa altura em que o país enfrenta um surto da variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 que já obrigou a confinar metade da população, foi esta sexta-feira anunciado.

De 14 de julho a 31 de agosto, a Austrália, que mantém as fronteiras fechadas a estrangeiros, com algumas exceções, como medida contra a pandemia de covid-19 permitirá a entrada de 3000 pessoas por semana, principalmente para fins de repatriamento, disse o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison.

A medida dificulta o regresso dos 34 mil cidadãos australianos e residentes no país bloqueados no estrangeiro.

Desde que fechou as fronteiras, em março de 2020, a Austrália só permite a entrada de estrangeiros por razões humanitárias, laborais ou de interesse nacional.

A Austrália enfrenta um surto de covid-19 com a variante Delta desde meados de junho, que acumula cerca de 250 infeções.

No fim de semana passado, o surto com esta estirpe, inicialmente identificada na Índia, levou ao confinamento de 12,7 milhões de pessoas, mais de metade dos habitantes do país.

PUB

A medida termina hoje em várias cidades, mas permanecerá em vigor até 9 de julho em Sydney, a cidade mais populosa da Austrália, com 5,3 milhões de habitantes.

O Governo australiano também anunciou hoje um plano em quatro fases para reabrir as fronteiras, o que, de acordo com as previsões anunciadas, deverá ocorrer em junho de 2022.

O plano baseia-se nas estimativas de imunização da população contra a covid-19.

O país, que tem tido sucesso no combate à pandemia, contabilizou pouco mais de 30 mil casos de covid-19 e 910 mortes.

No entanto, a campanha de vacinação está a encontrar dificuldades, com apenas 30% da população vacinada com a primeira dose e só 6% com as doses necessárias para completar a inoculação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG