Entrevista

O "ano difícil" de Bill Gates após o divórcio, o "erro" de reunir com Epstein e as conspirações

O "ano difícil" de Bill Gates após o divórcio, o "erro" de reunir com Epstein e as conspirações

Numa entrevista à BBC, Bill Gates falou do divórcio de Melinda Gates e admitiu que encontrar-se com Jeffrey Epstein foi um "erro". O empresário comentou ainda o criticismo público de Elon Musk para com ele e falou das teorias da conspiração de que é alvo online.

O título de pessoa mais rica do Mundo pertence atualmente a Elon Musk, mas já foi de Bill Gates. Os dois empresários, no entanto, não se dão bem. Na semana passada, Musk acusou Gates de realizar uma manobra em bolsa em que beneficiaria da desvalorização das ações da Tesla e argumentou que fazê-lo a uma empresa que fabrica carros elétricos mina a sua filantropia ambiental.

Questionado sobre a situação, Gates assegurou que "não tem nada a ver com as alterações climáticas". "A popularidade dos carros elétricos levará a mais concorrência para vender esses carros. Portanto, há uma diferença entre a adoção de carros elétricos e as empresas tornarem-se infinitamente valiosas."

Sobre o acordo de Musk para comprar o Twitter, Gates disse considerar "possível que o Twitter possa ser pior. Mas também pode ser melhor". "Vou esperar para ver", concluiu.

O "erro" de conhecer Epstein

O empresário e a mulher, Melinda French Gates, anunciaram o divórcio no ano passado. O casal criou a Fundação Bill & Melinda Gates - uma das maiores organizações de caridade do Mundo - e estava casado há 27 anos. "A minha vida é muito diferente. Os meus filhos saíram de casa, o último saiu para a faculdade há um ano. O divórcio é muito difícil. Foi um ano difícil", confessou.

PUB

O casamento terminou com relatos de que Gates teve um caso extraconjugal. Em março, Melinda Gates também disse que questionou por que se tinha encontrado com o multimilionário e criminoso sexual condenado Jeffrey Epstein. "Não gostei que tivesse reuniões com Jeffrey Epstein, não. Deixei-lhe isso claro", disse Melinda Gates, em declarações à CBS, em março.

Questionado sobre estes encontros, Gates disse que foi um "erro". "Eu cometi um erro ao encontrar-me com Jeffrey Epstein. Talvez os instintos dela sobre isso fossem mais aguçados do que os meus. Qualquer reunião que tive com ele poderia ser vista como quase desculpando o seu mau comportamento. Então, foi um erro".

Alvo de teorias de conspiração

Ávido defensor das vacinas, tendo mesmo doado milhares de milhões de dólares a programas de inoculação em todo o Mundo, Bill Gates tornou-se alvo de várias teorias de conspiração, que alegam que o multimilionário está a tentar monitorizar as pessoas. Muitas das teorias foram promovidas nas redes sociais e aumentaram durante a pandemia.

"De certa forma, quase que tenho de me rir porque é muito louco", afirmou. "Eu quero realmente monitorizar as pessoas? Eu gasto milhares de milhões em vacinas, não ganho dinheiro com vacinas, vacinas salvam vidas".

Gates contou ainda que foi abordado por teóricos da conspiração na rua. "Recentemente estive em público [e] algumas pessoas gritaram comigo que estou a monitorizá-las. E isso, isso é uma coisa horrível."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG