Marinha Real

Capa de chuva terá provocado queda de caça britânico no Mediterrâneo

Capa de chuva terá provocado queda de caça britânico no Mediterrâneo

Um caça da Marinha Real britânica caiu logo após a descolagem, na última semana, alegadamente devido a uma capa de plástico contra a chuva que não foi retirada antes do voo.

O incidente aconteceu na quarta-feira passada, quando o piloto de um jato britânico F-35 foi forçado a ejetar-se durante operações de rotina no Mar Mediterrâneo. O homem, que faz parte da tripulação do porta-aviões HMS Queen Elizabeth, foi encontrado em segurança e, desde então, regressou ao navio, segundo um comunicado do Ministério da Defesa britânico.

A queda, que não envolveu nenhuma outra aeronave ou navio de guerra de qualquer outro país, levou à abertura de uma "investigação urgente" focada num potencial erro técnico ou humano, de acordo com o jornal britânico "The Independent".

Esta semana, o britânico "The Sun" avançou que a queda deu-se devido ao facto de, antes da descolagem, não se ter retirado uma capa de plástico contra a chuva. A cobertura terá sido sugada para o motor do F-35 e o piloto, que "soube quase imediatamente" do problema, tentou abortar a descolagem. Sem sucesso, foi forçado a ejetar-se, disse uma fonte ao mesmo jornal.

Estas informações não foram confirmadas pelas autoridades britânicas.

Longa lista de problemas

PUB

Com um valor de mais de 100 milhões de libras (equivalente a 119 milhões de euros), o F-35 é a primeira aeronave britânica a usar "tecnologia furtiva" altamente avançada e sensível. O F-35 de "quinta geração" é uma das plataformas de armas aéreas mais caras do mundo. O Reino Unido assinou um acordo no valor de nove mil milhões de libras (10,7 mil milhões de euros) para comprar 28 aeronaves até 2025.

Com planos de adquirir 138 F-35, o Reino Unido seria o terceiro maior operador dos jatos produzidos pela Lockheed Martin, atrás dos EUA e do Japão. Ambos perderam aeronaves em acidentes, segundo a "CNN".

Em setembro de 2018, um F-35B da Marinha norte-americana caiu na Carolina do Sul, a primeira queda de um F-35. Já em abril do ano seguinte, um F-35A japonês caiu no Oceano Pacífico, matando o piloto. Mais tarde, o Ministério da Defesa japonês atribuiu o acidente à "desorientação espacial". Em maio de 2020, um F-35A da Força Aérea dos EUA caiu na Flórida durante o treino de rotina.

Além disso, o Pentágono reconheceu 275 falhas diferentes no sistema e o Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA suspendeu as operações da sua versão da aeronave, que é a mesma usada pelo Reino Unido, após um mau funcionamento do sistema.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG