Covid-19

Condição de Luis Sepúlveda é "estável, dentro da gravidade". Mulher aguarda resultados

Condição de Luis Sepúlveda é "estável, dentro da gravidade". Mulher aguarda resultados

As autoridades espanholas atualizaram, este domingo, o estado de saúde do escritor Luis Sepúlveda, confirmado como o primeiro caso de Covid-19 nas Astúrias, apenas seis dias depois de ter estado em Portugal.

"O paciente encontra-se estável, dentro da gravidade do caso, com febre e hemodinamicamente estável após receber tratamento com um antiviral", explicou a chefe do Serviço de Saúde do Principado das Astúrias, Concepción Saavedra.

A mulher de Sepúlveda está internada no Hospital Universitário Central das Astúrias (HUCA), depois de ter apresentado febre e aguarda o resultado de uma segunda análise, para saber se também está infetada com o novo coronavírus.

Estão ambos internados numa sala de isolamento no HUCA, enquanto as autoridades espanholas e portuguesas procuram rastrear os movimentos de Sepúlveda antes de depois de passar por Portugal.

O escritor chileno, radicado em Gijon, Espanha, esteve no festival literário "Correntes d' Escritas", na Póvoa de Varzim, entre 18 e 23 de fevereiro. A organização do certame disse, ainda no sábado, quando o caso foi confirmado, que Sepúlveda "estava muito constipado" quando deixou Portugal, há uma semana.

Em comunicado enviado às redações, este domingo à tarde, a Direção Geral de Saúde (DGS) de Portugal informou que a Autoridade Regional de Saúde do Norte (ARS-N) "deu início à Investigação Epidemiológica", ou seja ao processo de identificação de contactos próximos do doente e da mulher, aconselhando essas pessoas a ligar para a linha SNS24 - 808 24 24 24 - e a seguir as indicações providenciadas.

"Caso a situação de "contacto próximo" seja confirmada pelos profissionais da linha SNS24, as pessoas em causa não necessitam de se dirigir aos serviços de saúde, permanecendo calmas em casa, e aguardar o contacto da Autoridade de Saúde que estabelecerá as condições de vigilância", sugerem as autoridades portugueses.

Na mesma nota, a DGS informou que está em contacto com as autoridades de Saúde de Espanha. Uma versão confirmada do outro lado da fronteira.

O Diretor-Geral de Saúde Pública das Astúrias, Rafael Cofiño, disse, em conferência de Imprensa, que "uma das vias a ser trabalhada com mais afinco passa por detetar a origem do caso e identificar os contactos feitos por Sepúlveda durante a viagem em Portugal, uma vez que participou num encontro em que estavam centenas de pessoas, com escritores e convidados de vários países, principalmente de expressão portuguesa.

Como não havia convidados de países com casos conhecidos de Covid-19 nem há, até ao momento, qualquer caso confirmado em Portugal, as autoridades de saúde rastreiam os passos de Sepúlveda, 70 anos, para tentar perceber a origem do vírus.

A Câmara da Póvoa de Varzim aconselha "todos os funcionários/colaboradores que contactaram diretamente, num espaço de 1 a 2 metros" com o escritor a ficar em casa, evitar contactos sociais e seguir os conselhos da DGS. As pessoas que não tiveram um contacto mais direto com o escritor devem ainda assim estar atentos ao seu estado de saúde.

Lá como cá, os conselhos são idênticos: restrição da vida social e atenção a possíveis sintomas, perante os quais deve ligar para o 112. As pessoas devem manter-se localizáveis, controlar os sintomas respiratórios e medir a temperatura, aconselham as autoridades das Astúrias.

Apesar de terem sido descartadas medidas de isolamento, as pessoas que estiveram perto de Sepúlveda são, ainda, aconselhadas a evitar eventos com muita gente e a acentuar as medidas de higiene: usar sempre lenços descartáveis e lavar as mãos com frequência.

"Temos de manter a calma, estar alerta e vigilantes", resumiu Rafael Cofiño. "A deteção de um caso positivo de coronavírus mostra que o protocolo de atuação funcionou e funciona corretamente", acrescentou.

Segundo o jornal "La Voz de Asturias", o 112 do principado recebeu 227 chamadas de alerta para possíveis casos nos últimos cinco dias. O protocolo foi ativado 29 vezes, tendo sido confirmado um caso positivo, o de Luis Sepúlveda.

Em Portugal, a Direção-Geral da Saúde (DGS) registou 85 casos suspeitos de infeção, 12 dos quais ainda estudo, depois de ter sido descartada uma suspeita na Madeira. Há 73 casos que testaram negativo, de acordo com os últimos dados enviados, este domingo, pela Direção-Geral da Saúde.

A epidemia de Covid-19, que teve origem na China, já infetou 87.161 pessoas em 60 países de cinco continentes, das quais morreram 2.980.

Outras Notícias